Eat Clean

26 de agosto de 2016

Nutricionista Esportivo (ou prescritor de suplemento?)

26 de agosto de 2016

tem muita coisa gostosa no mundo

26 de agosto de 2016
eaclean
nutriespoouprescr
temmuitacoisagostosanomundo

Perguntei para um paciente hoje o que tinha sido mais difícil no primeiro mês da mudança alimentar.Esse é um cara que come comia muita junk food (em excesso mesmo), precisava perder peso e melhorar um sintoma gástrico. Ele me disse que foi diminuir o consumo desses alimentos porque “tem muita comida gostosa no mundo”.

Eu concordei: tem muuuuita comida gostosa no mundo. Desde a banana prata até o sanduíche do Z Deli, tem muita muita muita coisa gostosa por aí, muito mais do que coisas que desagradam.

Mas no final do expediente uma leitora me mandou um vídeo de uma blogueira fitness para eu assistir. Não é a coisa que eu mais gosto de ver na vida, mas ela insistiu tanto que eu comecei a ver. Digo que comecei porque realmente depois do que eu ouvi eu simplesmente parei o vídeo, porque eu não sou obrigada a nada…

Em determinado momento do vídeo a blogueira estava servindo um chá falando que não gostava muito do sabor dele, mas tomava porque fazia bem pra saúde e isso é ‘mara’. Depois disse que ‘a gente vai desapegando dos gostos’. Para finalizar, tomou o tal chá afirmando que ele era meio azedo mas ok, porque a gente sabe que se algo não é tão gostoso é porque aquilo é saudável – “tudo que é muito bom, não é bom’.

chámara

A minha luta na nutrição é mostrar para as pessoas que você pode e deve emagrecer comendo de tudo. Obviamente fica difícil perder peso comendo um pudim por dia. Mas isso não significa que você precisa comer o que não curte em prol da sua saúde ou da sua forma física.  

É só abrir qualquer site sobre saúde e ler sobre o problema entre o alto consumo de alimentos ricos em gordura e açúcares e a obesidade. Então a gente pensa que o risotto de queijo, aquele hambúrguer delicioso e o chocolate vão nos transformar em obesos de saúde frágil. Cortamos tudo porque tudo faz mal.

Depois somos bombardeados de corpos sarados nas capas de revistas e no feed do instagram, todos associados a pratos cheios de salada e frango e copos enormes de shakes proteicos. Então começamos a comer somente o que está relacionado a um corpo lindo, barriga sequinha e músculos tonificados.

Sem perceber cortamos nossa relação com o alimento. Colocamos os ‘gostosos’ ou indulgentes na caixa dos alimentos do mal e tudo aquilo que não-gostamos-muito-mas-os-sarados-comem na caixinha dos bons alimentos. Piora mais quando a gente acaba deixando a alimentação saudável pra lá, já que a gente não gosta de comer aquela batata doce com ovo gelados no lanche da tarde assim como a menina sarada e cheia de energia do instagram. E aí de fato a gente desapega do ato de comer em todos os sentidos.

Lembrando que o ato de comer envolve aroma, temperatura, visão, olfato e textura. E não somente o fato saúde.

É claro que a gente não come tudo que ama 100% o tempo inteiro, mas isso não significa que você precisa comer coisas que detesta, e nem ficar comendo comida ruim com nome de comida gostosa (brigadeiro de whey, por exemplo). A restrição gera compulsão, e quanto mais você tentar evitar determinado alimento que adora, mais vai comer o dobro quando resolver ceder a tentação.

Vamos fazer as pazes com as comidas gostosinhas, e parar de jogar tanta culpa e raiva no que é gostoso. Não é proibido, é divertido!

Até a próxima!