Gordura: consumir ou banir?

11 de setembro de 2014

A salada do vizinho é sempre mais verde

11 de setembro de 2014

Dilemas do número 2

11 de setembro de 2014
empty image
empty image
omg

É um assunto delicado, mas que precisa ser falado: funcionamento intestinal.

(falando desse assunto, vem aquela imagem na nossa cabeça…)

dirapaes

O uso do humor deve ser considerado nesse post, afinal, não dá para ser sério falando de algo tão íntimo!

Todo mundo que chega ao consultório do nutricionista – ou do médico – tem que responder aquela pergunta ‘desagradável': “como está seu intestino?”. Muitas vezes somos reticentes e falamos ‘está bem’ ou ‘ah, não funciona muito bem, mas isso é normal’.

E GENTE, POR FAVOR. É hora de esquecer a vergonha em casa e contar a grande e completa verdade. Fique tranquilo, o profissional do outro lado da mesa está preparado para ouvir tudo o que você tem para contar.

– Lembrando sempre que nenhum post substitui a visita ao nutricionista e/ou médico –

Os turistas de banheiro

turista

Algumas pessoas vão ao banheiro (no caso, número 2) pouquíssimas vezes na semana. São verdadeiros turistas. E claro, sofrem com isso. As mulheres sofrem mais do que os homens desse tipo de problema. E você sabe porque?

Primeiramente porque as mulheres não são incentivadas a falar desse assunto assim, com naturalidade. Claro que os homens também não são incentivados a anunciar sempre que estão indo fazer número dois – apesar da gente saber que a maioria se orgulha horroooooores do seu momento – mas para eles tudo bem se, por um acaso, tiverem que dar uma saidinha no meio da sala de trabalho para se livrar do material intestinal. As mulheres já são mais ‘travadas’ nesse sentido, e por isso muitas vezes deixam de resolver o problema na hora da vontade por pura vergonha. Como se não fosse uma coisa super natural. Ou seja: as mulheres estão sempre deixando para depois, e isso colabora muito com a bendita prisão de ventre.

Além disso, sabemos que hormônios femininos interferem nos movimentos peristálticos (ou seja, intestinais). Sim mulheres, somos escravas desses benditos hormônios mesmo. Mas a notícia boa vem logo mais: nem tudo está perdido.

Já para os homens, é difícil ver algum ser dessa espécie ‘abençoada’, livre de problemas do tipo, reclamar de prisão de ventre. Justamente pelo que eu disse acima: eles ‘podem’ se gabar que estão indo para a casa do pedrinho e não são tão influenciados por hormônios. Além disso, geralmente não fazem dietas loucas e restritivas – que diminuem o material ‘circulante’ no intestino.

Como se tornar um visitante frequente?

papel higiênico

A palavra básica é: controle suas emoções mulher! E deixe a vergonha lá na gaveta da sala! O que é que tem de errado em passar uns minutos a mais no banheiro? No começo é ruim, é triste, dá uma sensação vazia, aquela vergonha, como se todos estivesse notando… e de fato eles devem estar notando. Mas e aí? O que eles vão fazer? Escrever uma placa como se você estivesse ainda na sexta série te chamando de ‘cagona’?

Brincadeiras a parte, precisamos nos livrar desses pensamentos tão fortes que controlam nossos atos. Se você não consegue mesmo ir ao banheiro na hora do trabalho, se programe para ir pela manhã em casa, ou antes do banho a noite… Por isso você deve jogar aberto com sua nutricionista: quero fazer cocô tal horário! Assim ela pode te indicar alimentos mais laxativos justamente para dar a vontade naquele momento.

Atividade física é essencial para ter um bom funcionamento intestinal. Eu brinco em meu consultório que algumas pessoas são dependentes da ginástica para dar tchau na hora de apertar a descarga. E de fato são: logo depois de retomar a atividade, nosso sangue que antes estava mais concentrado nos músculos trabalhados, agora voltou para a região intestinal – além claro, da própria pressão exercida (se você fizer uma caminhada ou corrida, por exemplo).

Água é o santo remédio. Não adianta se entupir de fibras (falarei abaixo) e não tomar nenhum pingo de água. A hidratação é essencial para nosso intestino começar a ficar feliz e dar sinal de vida diariamente.

Fibras são essenciais, isso todo mundo tá careca de saber. Mas você sabe quais fibras são melhores? As insolúveis, aquelas encontradas nos farelos, feijão, produtos integrais, e vários tipos de frutas como a queridíssima dos constipados: a ameixa.

É importante também observar o que prende e o que solta. As vezes o mamão é um santo remédio para sua vizinha, mas em você não faz nem cócegas. A pipoca do cinema te deixa completamente constipada. É só tomar um iogurte de manhã que tudo funciona maravilhosamente… Isso varia muito de acordo com a pessoa.

Deveria morar no banheiro

omg

Se você vai ao banheiro uma, duas vezes ao dia, e o seu cocô é de consistência ok, parabéns. Você é uma campeã (o) nessa matéria. Mas se você vive com intestino preso, é melhor reconsiderar uma visita ao médico. Episódios frequentes de diarréia ou aquele cocô bem molinho – que pode ser ou não acompanhado de cólica – pode sinalizar algo errado: intolerâncias, alergias ou problemas intestinais mais sérios. Por isso, se você está morando no banheiro, procure imediatamente um médico. Pessoas que se alimentam muito mal – nutricionalmente falando! – geralmente tem fezes mais líquidas, ricas em gordura e com odor mais desagradável que o normal (eca!).

Considerações finais

Um funcionamento intestinal saudável é essencial. Se temos muitos episódios de diarréia, somos fortes candidatos a sofrer com hipovitaminoses (ou seja, redução de vitaminas), além da chatice que é viver num mundo onde você não pode ficar 200 metros mais distante de um banheiro. Se temos o intestino super preso também é ruim: os riscos de hemorróidas, fissuras anais, inflamações e infecções no aparelho digestivo e até câncer são grandes.

Por essas e outras, se você que está lendo é mãe (ou pai), avó (ou avô), tia (ou tio), educador (ou educadora) – ou não é nada disso mas se interessa pelo assunto – nunca bloqueeie uma criança de ir ao banheiro! Geralmente os pequenos tem vontades no meio do almoço: esse é o chamado reflexo gastrocólico, um reflexo que ocorre assim que a comida entra no estômago (é como se nosso aparelho intestinal mandasse o corpo ‘esvaziar’ antes de completar com mais material). E muitas mães proíbem as crianças, e isso é péssimo! Por um lado elas entendem que isso é feio, errado – e já começam a criar aquele bloqueio! E por outro lado elas acabam deixando para depois, depois, depois… e o corpo vai entendo que isso não é tão necessário assim: Voilá! Temos um turista de banheiro.

cocozinho

Nunca, jamais e em tempo algum apele para os remédios ‘naturais’ ou farmacológicos para soltar o intestino sem aconselhamento médico. Esses remedinhos podem bagunçar mais ainda o sistema intestinal, além de causar perdas de nutrientes e uma desordem total no intestino.

E para completar, apesar de tantas tentativas de humor, o funcionamento intestinal é um papo sério. Envolve uma boa microbiota intestinal (a famosa ‘flora’), boa alimentação, ingestão de água, atividade física, conhecer seu próprio corpo e um excelente trabalho psciológico. Da mesma forma que você deve formar bons hábitos para se alimentar, deve ter bons hábitos na hora de dispensar tudo aquilo que não serviu para o seu corpo.

Agora, já para o banheiro!

Beijos,

Até a próxima!