Vimeo post

10 de outubro de 2014

Link post

10 de outubro de 2014

Vou contar sobre o Food Detective!

10 de outubro de 2014
img-placeholder-dark
img-placeholder-dark

Muita gente hoje acredita ter alguma alergia alimentar – e as vezes parece até querer ter esse tipo de alergia.

alergia

De acordo com uma pesquisa britânica, aproximadamente 45% da população (britânica) acredita ter alguma alergia ou intolerância alimentar. Porém, apenas 1% realmente sofre destes problemas.

Talvez a crença sobre a alergia alimentar ocorra não só pelas informações equivocadas que são mostradas por aí… Mas também por responsabilidade dos testes rápidos feitos em vários consultórios: no caso desse post, o food detective.

Lá na Europa, o problema ficou tão ‘sério’ que o Instituto Nacional de Excelência Clínica (NICE), advertiu sobre os testes alternativos de alergia alimentar. 

Existe um consenso, entre os profissionais sérios e estudiosos, que esse tipo de exame é não somente um gasto desnecessário de dinheiro, como um risco: como você pode afirmar a uma pessoa que ela tem determinada alergia, orientar que ela exclua esse alimento ou nutriente, sem ao menos ter certeza disso? A base de qualquer diagnóstico de alergia ou intolerância são os sinais e sintomas, depois disso vem o exame.

“Ah Marina, mal não vai fazer!”.

Nada disso: com a exclusão de vários tipos de alimentos, nutrientes importantes vão embora! E a longo prazo, isso pode trazer sérios problemas.

E isso acontece com o glúten, com a lactose, e com vários outros componentes dos alimentos. Quando você decide excluir o glúten, exclui vários alimentos que contém nutrientes como fibras, ácido fólico, etc. Quando decide excluir a lactose, também deixa de lado a ingestão de gorduras, cálcio e proteínas.

E como esse teste rápido funciona?

gota de sangue2

Primeiro precisamos entender a diferença de alergia e intolerância.

A intolerância ocorre quando o corpo não consegue digerir ou metabolizar determinado produto. A alergia ocorre quando o corpo prepara todo o sistema imunológico para reagir contra determinada substância, identificando-as como um veneno.

Para avaliação de alergia, são mensurados os valores de IgE. Para intolerância, os exames de IgG. O que isso significa? Que o exame do tipo Food Detective não funciona como diagnóstico para alergia, pois ele mensura níveis de IgG. É um teste rápido, onde uma (UMA) gota de sangue é colhida e avalia-se a intolerância a 59 tipos de alimentos.1 gota – 59 tipos – IgG: nada consistente!

poderoso castiga

“Ah, mas eu fiz o teste, e deu que tenho intolerância ao milho. E realmente quando eu como milho eu fico me sentindo meio mal!”

Devemos avaliar se você começou a se sentir mal depois do teste – ou seja, somos induzidos a tal sensação quando na verdade não sentimos NADA.

Depois precisamos entender que ninguém tem intolerância ao milho, mas em algo que tem no milho – e isso vale para outros alimentos ok? E que nem sempre uma sensação de estufamento ou mal estar causada por determinado alimento é intolerância alimentar.

Observo no consultório que na grande maioria das vezes, o que causa essas sensações de mal estar, estufamento, gases, não é o alimento, mas um péssimo equilíbrio da microbiota intestinal. Porém, é #tendência ser alérgico ou intolerante, hehehe.

E porque quem realiza o exame e descobre intolerâncias/alergias começa a seguir um tratamento e emagrece?

gota de sangue

Porque reduzimos o consumo, claro! Imagina se você não pode de jeito nenhum comer castanha, milho, tomate, farinha de trigo, fermento e leite? Vai ter que excluir muita coisa da sua alimentação e durante o tempo o seu consumo será reduzido – fazendo você perder peso.

Mas atenção: esse consumo reduzido é, na maioria das vezes, momentâneo! A tendência é entrarmos em compensação com outros alimentos, aumentando o consumo.

Qual o melhor jeito de descobrir intolerância/alergia alimentar?

Primeiramente, procurando um médico! Não há diagnóstico sem sinal e sintoma. A partir daí o médico vai escolher qual o melhor exame para identificar uma possível intolerância e alergia, e depois interpretará os exames. Digo que ele vai fazer essa interpretação porque muitas vezes o exame pode se mostrar alterado para determinado exame, porém pode ser uma reação secundária, descaracterizando uma alergia ou intolerância. Confuso né? Por isso sempre precisamos procurar um médico. Uma vez que uma intolerância ou alergia é identificada, aí você irá fazer todo o tratamento com um nutricionista!

Veja o texto publicado no site da Sociedade Brasileira de Alergologia:

(…) é muito importante que um precisodiagnóstico ocorra, pois somente desta maneira o mais adequado tratamento pode ser adotado.

A base do diagnóstico em alergia alimentar é a consulta médica. Somente após uma adequada conversa com um médico, com experiência em alergia alimentar, é que se torna possível definir se as queixas apresentadas pelo paciente, de fato estão relacionadas a um processo alérgico. Precisamos lembrar que muitas das queixas que o paciente apresenta frequentemente não estão relacionadas com alergia. Uma barriga muito inchada, muitas cólicas, dor de cabeça, raramente estão associadas a um processo alérgico.

Na ânsia de responder às questões dos pacientes, pode-se incorrer no erro de solicitar exames que não são sequer adequadamente registrados e estudados no diagnóstico de alergia alimentar. Há exames que prometem definir a alergia, através de métodos que não apresentam evidências suficientes para serem realizados. Até o momento, os únicos exames de sangue que podem garantir alguma correlação entre alergia e alimento são os que detectam aIgE, que é a proteína responsável por alergias que apresentam reação imediata.Exames que detectam outros anticorpos, como IgG, para alergias tardias ou que usam outros métodos não devem ser realizados, pois não há base científica para a realização destes.

Minha opinião:

cropped-c8604-realfood2.jpg

O corpo pode produzir o IgG (anticorpo que é medido no teste food detective) para todos os alimentos que consumimos. Os níveis tendem a ser maiores contra os alimentos que consumimos com maior regularidade, ou seja: quanto mais você come, maior resultado. Se você fizer um teste rápido hoje, irá verificar que seus níveis de IgG estarão maiores para aqueles alimentos que mais consome. Se logo depois você cortar o consumo desses alimentos e fizer o teste, os níveis de IgG estarão baixos para estes. Porém, quem é realmente intolerante sempre terá os níveis de IgG aumentados quando exposto ao alimento.

Por isso, invistam o rico dinheiro de vocês (o teste pode variar entre R$ 500,00 e R$ 2000,00, não inclusos no valor das consultas) procurando um bom profissional de saúde (tanto médico quanto nutricionista). Estes irão te indicar o melhor tipo de exame e tratamento, caso seja necessário.

Conclusão: nada substitui uma boa consulta!

E se você está querendo emagrecer, já pensou em recorrer a boa e velha reeducação alimentar, ao invés de querer ter alergias ou intolerâncias? E você sabia que existem váááários intolerantes – que realmente não podem comer isso ou aquilo – acima do peso? Isso será inclusive tema de um próximo post SENSACIONAL com o relato de uma intolerância e a sua briga com a balança!

Espero ter ajudado, em especial a Natália, que me sugeriu esse post! :)

Beijos,

Até a próxima!