Vai ter copa!

13 de junho de 2014

Reflexão: Não vou comer nunca mais

13 de junho de 2014

Ligeiramente Grávida

13 de junho de 2014
empty image
empty image

Você resolveu engravidar, e instantaneamente suas atenções se viram para o assunto. E dentre eles, a alimentação.

Não preciso nem dizer que fazer o acompanhamento médico antes de engravidar é essencial … e com nutricionista? Vale a pena?

Super!

Quando nós mulheres engravidamos, devemos estar preparadas não só para as questões fisiológicas da maternidade, mas também para os aspectos da criação: uma criança que cresce num ambiente nutricionalmente saudável tem menos riscos de desenvolver obesidade ou doenças relacionadas a má nutrição.

Por isso, o primeiro ponto é procurar um nutricionista para verificar seus hábitos alimentares. Talvez você esteja dentro do peso, mas tenha uma alimentação totalmente desequilibrada, talvez você tenha alguma deficiência vitamínica… O médico e o nutricionista irão ajudar muito, principalmente sobre o último aspecto: algumas vitaminas são suplementadas antes mesmo do início da gestação, e influenciam na saúde do bebê (ácido fólico, por exemplo).

O outro ponto é o peso. Quando a mulher engravida no peso ideal, os riscos de vários problemas durante a gravidez e o parto são reduzidos, além de uma melhora na perda de peso pós parto. Dietas extremamente restritivas não se fazem necessárias e muito mesmo indicadas no ‘preparo’ da gravidez, mas se você procurar um especialista com um tempo hábil antes mesmo de iniciar as tentativas de engravidar, é melhor.

Antes de engravidar, é muito importante que a mulher tome consciência do próprio corpo e confie muito no profissional que irá acompanhá-la. Várias dúvidas surgirão e vários palpites serão dados durante os 9 meses da gravidez (até antes e depois do nascimento!), e o melhor é perguntar sempre ao seu médico/nutricionista. Afinal, cada um tem uma conduta, e sendo de confiança, você pode apostar que o médico e nutricionista farão apenas o que for melhor para você e para o bebê.

Você escutará de tudo um pouco. Talvez você passará a gravidez isenta de enjôos, talvez você se sinta com uma ressaca pós festa de adolescentes. Talvez morra de fome, talvez não consiga comer.

Alguns detalhes são muito importantes e variam muito de acordo com o profissional que está te acompanhando. Algumas delas são as seguintes:

Você não precisa comer por dois!

pregnancy

Não há consenso entre os especialistas, e depende do peso pré gravídico – ou seja, o peso que você tem no início da gestação. Os nutricionistas costumam sugerir que os primeiro trimestre não seja acompanhado de aumento de peso, somente após o segundo trimestre as necessidades energéticas são aumentadas. Mas como disse acima, tudo vai depender do peso da paciente e da conduta profissional. De qualquer forma, você não precisa comer por dois! E manter uma alimentação equilibrada, a base de frutas, legumes, fontes proteicas e fibras é essencial!

O uso do adoçante

adoçante

 

Esse é um assunto totalmente controverso. Alguns profissionais contra indicam totalmente, outros não vêem problema no consumo. A minha opinião é que adoçante é remédio, e deve ser utilizado somente para quem não pode consumir açúcar. De maneira contrária, é melhor se reeducar e consumir pouco açúcar do que tubos de adoçante. Para mim essa regra se torna válida durante a gravidez, e talvez seja uma boa oportunidade de excluir o consumo do adoçante da sua vida, e fazer as pazes com uma quantidade mínima de açúcar. Como eu já falei nesse post, o uso do adoçante pode mascarar substituições equivocadas na nossa alimentação.

Comida Japonesa, pode?

sushi

Outra polêmica! Eu vejo a comida japonesa como um risco relativo. Você que não está grávida pode comer uns sushis e contrair uma infecção alimentar, assim como a grávida. E como toda infecção, ela pode vir acompanhada de vômito, diarréia e desidratação. Existe uma questão quanto a contaminação dos peixes com mercúrio, mas isso deve ser conversado particularmente com seu nutricionista, pois varia, inclusive, de acordo com a região que você mora e com o tipo de peixe que você consome.

Eu não quero engordar!

Engordar muito é um medo recorrente das mamães. Se cuidar durante a gestação, alimentando-se bem, cuidando da vida que irá nascer, é muito importante. Neurotizar pelo ganho de peso, querendo fazer mil dietas, só pensar no corpo não é legal. Entenda que o ganho de peso é um processo natural, e depois do nascimento você terá uma nova vida em suas mãos, além da possibilidade de recuperar todos os quilos adquiridos. Existem mil preocupações que vão além do peso e do corpo. O cuidado com cremes, a prática de atividade física, a hidratação, tudo isso para uma gestação linda é super normal… mas se preocupar única e exclusivamente com o peso, por pura vaidade, não é legal.

E quantos kg ganhar?

O profissional que te acompanha irá definir uma estratégia. Tudo depende do peso que você engravidou e de outros detalhes da gestação. Por isso, confie no médico/nutricionista e siga as orientações.

O enjôo 

nausea

Náusea e vômito são queixas comuns de várias grávidas. Entenda que nem toda grávida fica super nauseada ou tem episódios de vômitos. Algumas passam super bem, inclusive nos 3 primeiros meses – período mais crítico. A melhor forma de prevenir os enjôos e vômitos é evitar o jejum e descobrir quais alimentos você se sente melhor consumindo. Algumas grávidas relatam vontade de comer alimentos frios e doces, outras secos e salgados (como biscoitos, por exemplo). Por isso é muito importante conversar com o nutricionista que está acompanhando sua gestação, para te ajudar.

 

Vitaminas

vitaminas

Hoje em dia a suplementação de ácido fólico é utilizada antes mesmo da concepção. O ácido fólico age na formação do tubo neural da criança, e mulheres mal suplementadas podem gerar filhos com lábio leporino. Mas TODA SUPLEMENTAÇÃO DEVE SER FEITA POR UM PROFSSIONAL! Não adianta pegar a receita da amiga para fazer ok? Além disso, outros suplementos como Ferro também podem ser utilizados, caso haja necessidade. O médico irá definir a real necessidade, de acordo com seu consumo, saúde e exames.

De uma maneira geral, esse período deve ser acompanhado de muita conversa com o médico/nutri, e de muita alegria :) Gravidez não é doença, é um período que deve ser vivido com muito prazer.

Até a próxima,

Beijos,

assinatura