Vou contar sobre os finais de semana…

10 de dezembro de 2013

Opinião: Veja e os médicos que receitam bombas

10 de dezembro de 2013

Minha nutricionista não passou suplemento… E agora?

10 de dezembro de 2013
empty image
empty image
Queixa normal entre vários pacientes que visitam o nutricionista: ‘o meu amigo está tomando vários suplementos, e eu não! Fui em uma nutricionista e ela não indicou nada!‘. Bem meu amigo (a), tenho uma notícia boa pra te dar: você pode ter consultado com uma nutricionista que realmente se importou com sua dieta, com o seu bolso e com sua saúde!
 
Muitas pessoas – muuuuuuuuuitas – não necessitam de suplementação na dieta, mesmo praticantes de atividade física. Frequentadores assíduos de academia irão dizer que o corpo mudou TOTALMENTE depois que começaram a suplementação, que faz toda a diferença, e etc… Por isso irei discutir alguns detalhes nesse post. Afinal, o suplemento alimentar tem sim seu valor, mas somente quando realmente necessário.

 

Quando suplementar? O nome já diz: é um suplemento. Eles são destinados para suprir alguma deficiência alimentar. Ou seja: se está faltando algum nutriente no seu corpo, o suplemento pode ser uma excelente saída. Existem suplementos de proteína, vitamínicos, minerais, energéticos… vários tipos.
Como suplementar? Quando você se consulta com um o nutricionista, é papel dele ‘quantificar’ sua dieta, ou seja: verificar o quanto você come e o quanto você gasta. Exames laboratoriais também podem auxiliar no diagnóstico deste ‘balanço energético’. Então ele verifica sua alimentação diária, as atividades físicas que você pratica, o seu objetivo, seus dados corporais (peso, altura, % gordura corporal, massa magra) e principalmente – que eu julgo super importante! –  suas preferências e rotina (afinal, não é todo mundo que consegue comer uma vitamina de frutas com iogurte natural e grãos no meio da correria diária). Cada pessoa tem um cálculo. A partir desses dados o profissional consegue medir a real necessidade de suplemento.
Porque suplementar? Algumas pessoas não conseguem consumir toda a quantidade de aminoácidos ou proteínas suficientes. Outras fazem atividades prolongadas e necessitam de mais energia antes, durante ou depois da atividade. Algumas tem limitações físicas: cirurgias, problemas intestinais ou gástricos, problemas dentários. E por último existem aquelas pessoas que tem restrições alimentares: alergias, intolerâncias ou simplesmente abriram mão de um alimento x ou y por não gostarem. Então muitas vezes a quantidade de nutrientes ingerida é menor do que a necessidade – o que pode prejudicar o rendimento físico ou o ganho de massa magra, e até a saúde. Nestes casos o nutricionista deve estudar muito bem como suplementar e qual suplemento oferecer. No caso de problemas de saúde acho conveniente fazer esse diagnóstico e oferecer o tratamento sempre discutindo com um médico.

Porque não suplementar? Porque várias vezes não há necessidade. Muitas pessoas começam a tomar suplementos e dizem que ganharam quilos de músculos … mas posso garantir que grande parte dessa melhora é responsabilidade não só do suplemento (que pode ter sua parcela de ‘culpa’) mas principalmente do aumento ou melhora da prática das atividades físicas e de uma mudança na alimentação. Se existe um upgrade no estilo de vida, o corpo irá responder positivamente. E tem mais…

No caso das proteínas (as ‘queridinhas’) existem alguns pontos importantes:
  1. Para ganhar massa magra não basta sair tomando proteínas por aí, feito um desesperado. Os carboidratos são essenciais para o aumento dos músculos.
  2. O corpo tem um ‘limite’ de absorção. Algum aumento na ingestão proteica pode ajudar no ganho de massa magra – o que não depende somente do suplemento. Mas não adianta comer mais proteína do que o corpo ‘aguenta’ utilizar. Você estará apenas enriquecendo o seu xixi (suplementos bons são caaaaaros!).
  3. Muitas pessoas conseguem ingerir com a alimentação os aminoácidos necessários para uma boa formação de massa magra, sem necessidade de suplemento. Isto é extremamente vantajoso, pois nos alimentos encontramos outros nutrientes e não somente as proteínas. 
  4. Vários praticantes de atividade física podem ter o rendimento prejudicado pela ingestão hiperproteica. O excesso de proteínas pode prejudicar a ingestão de carboidratos, por exemplo.
  5. Muitas vezes o importante não é a quantidade de proteína mas sim a qualidade da proteína!
  6. Nem toda proteína é Whey Protein, nem todo Whey Protein é milagroso. Existem vários tipos de proteína e aminoácidos, e cada um pode ter (ou não) um objetivo diferente.
Porque está ‘todo mundo’ tomando suplemento? Porque é moda! Simples assim… Tem muita gente que toma porque precisa, mas tem mais gente ainda tomando sem precisar. Como eu sempre deixo claro aqui nos meus posts eu percebo que muita gente precisa de um incentivo extra, algo que ele tome e pense ‘isso aqui vai fazer milagre!’. Efeito placebo? Sim, nas devidas proporções é possível. Porém, a grande maioria nunca se moveu para praticar atividades e comer bem. Aí começam a fazer tudo isso e tomar suplemento: e vejam só, a responsabilidade é dele, que tem a menor parcela em todo o processo. Existe SIM a possibilidade de uma pessoa ganhar massa magra sem suplementação – inclusive isso é muito recorrente no consultório!
Infelizmente ainda existem muitos profissionais que precisam suplementar de tudo (mesmo sem necessidade) para ganhar o paciente. Várias pessoas chegam no consultório com um anseio de tomar alguma cápsula porque o amigo está tomando, e se o profissional não passa eles ficam desapontados. Mas se um nutricionista responsável tiver sabedoria de explicar essa necessidade, ótimo. Porém existem os profissionais de ética discutível que além de suplementar para ‘ganhar’ o cliente, ainda recebem para indicar os suplementos e produtos. Eu ainda prefiro explicar tudo para o cliente, com bastante calma, para que ele entenda que muitas vezes não há necessidade de gastar tubos de dinheiro em potes de proteína. Ou então que sim, o suplemento em determinados casos é extremamente válido e funcional!
Por isso digo: converse com seu nutricionista, peça explicações, verifique a tamanha necessidade, não seja levado por modismos. E principalmente, entenda que cada corpo é um! Cada um tem uma necessidade calórica, energética, proteica e lipídica. Cada um tem um metabolismo.
O mais bacana de tudo é consultar um nutricionista e explicar bem ao seu preparador físico qual é o objetivo. Todos os profissionais da saúde querem trabalhar e garantir o seu lugar ao sol. Mas procure sempre profissionais que estão preocupados com o seu bem estar, e não só na parte lucrativa do trabalho!
Espero que tenham gostado
Até a próxima!
Marina
Ps: é importante frisar também que uma alimentação saudável deve ser baseada em alimentos naturais. Não adianta nada se matar na academia e depois se encher de alimentos industrializados né? Lembrem-se sempre da premissa: quanto menos ’embalagem’ melhor :)
PS2: a minha intenção com o blog não é substituir a visita ao nutricionista. Escrevo justamente para incentivar as pessoas na busca de profissionais SÉRIOS e mostrar que alimentação saudável vai muito além de contar calorias e comer sem prazer!  Saúde é muito importante, por isso procuro tomar o maior cuidado com o tipo de informação transmitida :) No mais, é ser feliz e ter equilíbrio!