Barrinha de cereal: qual escolher?

10 de julho de 2013

Glutamato Monossódico – o perigo mora ao lado

10 de julho de 2013

Organizando a alimentação

10 de julho de 2013
empty image
empty image
Eu já falei por aqui… moro sozinha, eu que preparo minhas refeições, arrumo minha casa, etc, além de trabalhar o dia todo. No começo eu tive muita dificuldade para me alimentar bem, estava trabalhando bem longe de casa, e no fim das contas, acabei perdendo peso e desequilibrando minha alimentação. Estranho ouvir isso de uma nutricionista, mas a correria diária realmente deixa tudo mais difícil.
Além disso, passava correndo no mercado para fazer compras. E se tem uma coisa que sempre gostei foi de ir ao supermercado, ver as novidades, os produtos, ler as tabelas, os ingredientes. Até porque meu trabalho pede isso… Para indicar um produto x ou y para um paciente, preciso estar bem informada. Eles já chegam com tanta informação errada que lêem por aí…
Enfim, resolvi me organizar e colocar minha alimentação em dia. Além do quesito comer bem, tem mais detalhes: economizar e não desperdiçar. Bem, eu bem gostaria de uma alimentação 100% orgânica, e lotar minha geladeira de 300 tipos de pães, grãos, verduras, etc. Mas morando sozinha, as coisas acabam se perdendo na geladeira, além de sair mais caro. Aí entra a parte técnica da nutrição, que me ajuda a selecionar os produtos de acordo com a sazonalidade (ou seja, o preço fica melhor!) e com a durabilidade dentro e fora da geladeira.
Os únicos alimentos que dou preferência para serem orgânicos são o frango e os ovos. As carnes procuro comprar sempre de marcas boas e reconhecidas.
Além disso eu sei e amo cozinhar, o que facilita na hora de preparar e pensar na minha alimentação.
Então vou explicar como organizo minha rotina alimentar de uma maneira rápida, para que possa ajudar e inspirar!
1) Montar o cardápio
O primeiro passo é escrever um cardápio. O que vou comer segunda, terça, quarta… isso facilita não só para deixar tudo organizado, como para elaborar uma lista de compras. Por ex: eu compro 1 maço de alface por semana (que dura 1 semana). Todos os dias, então, a base da salada será alface. Assim não preciso comprar 20 tipos de alface e acabar jogando no lixo os excessos. E consigo pensar em preparações rápidas, fáceis e gostosas.
2) Fazer compras
Do lado da minha casa tem uma feira bem grande também, que acontece todas as sextas feiras. Então me divirto por lá: compro frutas, verduras, legumes e algumas vezes até outros alimentos (tapioca, temperos, farinhas, sementes, grãos, etc). Procuro sempre comprar os vegetais, frutas e legumes da época, pois estão mais baratos e mais gostosos. Além disso, escolho as unidades pequenas, para evitar o desperdício. Depois vou ao supermercado comprar os perecíveis.
3) Organizar a geladeira
Essa parte é a mais trabalhosa, mas eu gosto muito também. Deixar tudo organizadinho, dentro dos potinhos, com etiquetas e etc.
O almoço eu deixo pronto um dia antes – ou pelo menos semi pronto. Por ex: vou comer uma carne picadinha com berinjela, arroz 7 grãos e saladinha. O arroz sempre fica separado na quantidade certa, a carne descongelando na geladeira, e a salada já lavada dentro dos potinhos. Assim chego em casa, e preparo rapidinho. Geralmente não gasto nem 20 minutos (claro, procuro preparações que não demoram).
Sei que vão falar “mas deixar a salada já picada, vai perder os nutrientes de alguns legumes e verduras”. Isso é verdade. Mas melhor comer uma salada assim, do que não comer. Até porque alguns nutrientes não se modificam (dependendo do vegetal, deixo para cortar ou descascar na hora). Além disso, as fibras estarão presentes – e são super importantes.
Faço exercícios físicos pela manhã, então sempre como algo mais rápido antes, e depois um café da manhã mais reforçado. Mas geralmente é um tostex ou misto quente com suco de frutas; tapioca (com coco ralado natural e manteiga, eu amo!)/ iogurte com granola ou aveia … e por aí vai.
Os lanches intermediários são os mais importantes. Gosto de deixar todos em zip loc, etiquetados com o dia. Assim não esqueço de levar para o trabalho: como de 3 em 3 horas e resisto a tentações (tipo a Ofner que existe do lado do consultório!).
Frutas dos lanchinhos intermediários: cookies e damascos / morangos picados / uva sem caroço
Lanches intermediários já separados: barrinhas, iogurtes, frutas, cookies integrais, frutas secas, etc
O jantar sempre é uma sopa, macarrão ou uma pizza de pão sírio. Quando está mais quente faço um sanduíche natural com uma salada igual do almoço, uma vitamina de leite com frutas, salada de frutas, etc. Raramente como comida de sal.
Quando vou sair e sei que vou beber e/ou comer, nunca saio de estômago vazio, Procuro comer uma fruta, ou tomar um leite com nescau (é o vício da minha vida).
Para completar a organização, sempre tenho algumas coisas básicas na cozinha. Alguns exemplos são molhos caseiros para salada; água de coco na forma de gelo (que são ótimas pra fazer suco); frutas congeladas (abacaxi ou morango, também para fazer sucos); castanhas picadas para colocar na salada ou no iogurte; macarrão (que eu amooooo); pão sírio (acho super versátil); suco de uva integral (ex: casa são bento); azeite; tempero de alho caseiro; pimenta dedo de moça; molho caseiro de tomate… por aí vai.
Além disso eu sou super permissiva quanto a alimentação. Fui criada num sistema ótimo. Minha mãe só  comprava refrigerante aos finais de semana, e nunca foi muito fã de encher o estoque com biscoitos recheados, chips e essas bobeiras. Fritura então, nunca foi o forte lá de casa. Então não sou glutona para esse tipo de bobagem, mas se tiver claro que como – então evito comprar. É hábito e costume. Uma caixa de bombons na minha casa dura mais de 2 meses. Tem ovo de páscoa por lá até hoje! Mas as vezes me dá uma vontade louca de comer um bolo, um bombom, ou um sorvete. Não deixo de comer mesmo! Eu sei os limites do meu corpo e da minha saúde, e gosto de ser feliz comendo e comer sendo feliz!
Jamais deixo de sair pra comer uma pizza, ou um sanduíche. Amo comer. Em casa sempre faço coisas gostosas, tipo cachorro quente, risotto com bastante queijo ralado, macarrão (que é a minha perdição)… E vou dormir feliz. O meu segredo é equilibrar mesmo. Fim de semana então eu me permito super. Acho que alimentação é uma questão de saúde, acima de tudo. E ser saudável é ter consciência e prazer não é mesmo?
Espero ter ajudado quem sempre fala “ai, não tenho tempo pra me alimentar bem!”.
Eu também não tenho… como disse, eu trabalho, estudo e cuido da minha casa sozinha, sem ninguém pra me ajudar em nadica de nada.
É o que eu sempre digo para os meus clientes: comer bem não é só força de vontade. Tem que ser bem orientado, por um profissional sério, e ter organização.
Espero que tenham gostado!
Beijos,
Marina