Dá pra trocar? – Lasanha Sadia

28 de abril de 2014

Dá pra trocar? Sopa instantânea

28 de abril de 2014

Reflexão: Dieta de gaveta

28 de abril de 2014
empty image
empty image

Alguma vez você foi ao consultório de um (a) nutricionista e teve a sensação que ele(a) estava te entregando uma dieta pronta, um xerox, uma ‘dieta de gaveta’?. Você não é o único. Recebo dezenas de pessoas com a mesma queixa, vejo planos alimentares de amigos justamente assim e sei que isso é muito comum (infelizmente).

 

"Integridade é escolher seus pensamentos e ações baseados nos seus valores, e não no seu ganho pessoal"

“Integridade é escolher seus pensamentos e ações baseados nos seus valores, e não no seu ganho pessoal”

Nunca fui fã da tal dieta de gaveta. Não me formei aprendendo essa prática e nunca incorporei ao meu trabalho. Na verdade eu acho esse hábito um verdadeiro desvio de profissionalismo (para não dizer caráter). Fazer planos alimentares está compreendido no ofício do nutricionista, e se ele não quer esse tipo trabalho , sugiro mudar de área.

Não existe dieta mágica, ideal para todo mundo. Se existisse, os nutricionistas não teriam que ficar quebrando a cabeça para montar planos alimentares ideais para os pacientes, levando em consideração os valores calóricos, os valores de nutrientes, as preferências, as rotinas e os anseios. Ou seja, perderiam a função. Seria uma dieta só para todo mundo. Os pacientes também seriam privilegiados: saberiam sempre o que comer.

Mas não é assim. Para emagrecer e/ou ter saúde é necessário uma dedicação, não só do lado do paciente. O nutricionista tem que fazer contas, pensar, repensar, considerar as vontades, a rotina, a cultura, a idade, as preferências alimentares, as possibilidades financeiras… são tantos viés, que perde o sentido uma dieta de gaveta.

A famosa ‘dieta padrão’ geralmente só considera o valor calórico. Ou seja: se você precisa de uma dieta de 1200 calorias, e consumí-las regradamente, irá perder peso. Mas será que essa dieta te propõe os alimentos que você gosta, que encaixem na sua rotina?  Provavelmente não. Você pode começar a fazer, ir bem nos primeiros dias, mas enjoar logo logo. Afinal, porque a nutricionista não considerou que de vez em quando você tem vontade de comer um bombom depois do almoço? Porque será que a nutricionista insiste que você coma aveia, se você não suporta nem o cheiro? Será que não existe outra solução?

thibkoutside

Pra dieta de gaveta não.

A dieta de gaveta foi feita pra nutricionista não ter trabalho. Não precisa pensar em detalhes: é necessária uma consulta, uma conversa e pronto. Até o próximo encontro. Pode até funcionar por um tempo, afinal, você está comendo menos e gastando mais. Mas é só.

Hoje fiquei surpresa a receber uma cliente diabética, que faz uso de insulina. Esse é um caso muito especial, onde a paciente aplica a insulina de acordo com os alimentos consumidos. E ela visitou uma nutricionista que a entregou uma dieta de gaveta. Onde já se viu isso? Antes de pensar na redução de peso dessa pessoa, o profissional tem que considerar sua enfermidade! E sim, nesse caso, a dieta de gaveta poderia piorar o quadro!

Uma amiga recebeu uma dieta onde a nutricionista pedia para comer apenas ricota. Mas ela odeia ricota. Me ligou desesperada ‘posso comer alguma coisa no lugar da ricota? Não dá pra comer ricota’. Claro que dá. Não dá pra dieta de gaveta. Aquela dieta programada apenas para te emagrecer. Como diria minha nutri preferida, você quer emagrecer sendo nutrida ou apenas quer ser emagrecida?

A dieta de gaveta também tem outro grande defeito: engordar a pessoa de manias. Mania de comer só determinado tipo de fruta, mania de só comer frango com salada, mania de ter medo de arroz, mania de abolir o amado doce 100% do tempo.

Infelizmente existem colegas de profissão que continuam insistindo nessa… Para eles fica o meu pesar: estão perdendo uma enorme oportunidade de, ao fazer cada plano, aprender mais e mais. Trabalhamos não só com ‘consumir menos e gastar mais = emagrecer': trabalhamos com seres humanos, pessoas com ansiedades, fraquezas, expectativas, objetivos, medos, etc. Fico imaginando se essas pessoas fariam o mesmo com alguém da família, e as vezes chego a desconfiar se esse tipo de profissional realmente sabe algo de nutrição.

As vezes o caminho mais rápido não é o melhor caminho…

Enquanto isso, os nutricionistas que se importam não só em emagrecer mas também em nutrir, seguem em frente estudando, pesquisando e elaborando dietas que tornem o processo de emagrecimento (ou cura, ou melhora da saúde) mais fácil e eterno. Porque resultado de dieta de gaveta, além de tudo, tem prazo de validade.

Beijos,

assinatura