Reflexão: Não vou comer nunca mais

20 de junho de 2014

Dos blogs (e sites) que amo!

20 de junho de 2014

Self Service

20 de junho de 2014
empty image
empty image

De 10 pessoas que almoçam fora de casa, pelo menos 7 classificam ‘comer em self service’ uma grande dificuldade. Percebo que muita gente perde o foco – e acaba comendo mais ou fazendo opções não tão corretas assim.

Isso ocorre principalmente pela grande quantidade de opções e quantidade: tendemos a comer mais quando a oferta é maior – isso é inclusive objeto de estudo, sabiam?

Por isso resolvi fazer esse post: para você avaliar em qual momento pode estar ‘pecando’ antes de colocar o seu prato na balança. A minha idéia não é (nunca) condenar o certo e o errado, mas te fazer pensar.

self service

Self Service: Vilão ou Mocinho? – nenhum dos dois!

Detalhe: esse post não substitui a velha e boa conversa com o nutricionista!

Dica 1: meça sua fome/vontade de comer

doubt

Não adianta tapar o sol com a peneira. Se você está com vontade de comer um pedaço de lasanha, é melhor que faça na medida e satisfaça sua vontade do que ficar tentando matar essa vontade com um monte de outros alimentos. O comum é formar um padrão (ex: eu sempre como arroz, feijão, carne e salada), mas se um dia você quiser variar, qual o problema?

Não é questão de ‘comida do bem’, ‘comida do mal’. É saber moderar. Talvez seja melhor que você coma um pouco do que está com vontade, do que muito do que não quer. E claro, lembre-se que uma ocasião não trará malefícios a sua alimentação ou peso, mas sim a repetição de comportamentos fora do padrão.

Dica 2: observe todo o buffet

look

Chegando no restaurante, dê uma olhada no buffet, veja quais são as opções. Assim você já poderá selecionar quais são os alimentos preferidos – sempre vai existir mais de um!. Você não precisa ‘não comer’. Basta moderar nas quantidades!

Dica 3: Cuidado com a salada

salada no self service

Falei outro dia no instagram sobre o ‘perigo’ da salada nos buffets. Vejo muita gente colocando bastante salada no prato – o que é ótimo – mas se sentindo no direito de exagerar no resto do prato. Muita calma nessa hora! Salada é bom, faz bem, é essencial… mas ela não elimina o fato de tomar cuidado com os outros alimentos.

Um outro detalhe é que muitas vezes a (grande) quantidade de salada pode ser prejudicial. Sim! Não se engane colocando apenas salada e grelhado – será que isso não faz sua fome triplicar em outro horário do dia? Será que não é melhor comer o belo arroz e feijão também?

Dica 4: Evite as frituras

fritura

Não estou falando pra nunca mais pegar aquele peixe empanado que você adora. Estou dizendo para não fazer do seu prato um verdadeiro festival de frituras. Geralmente no final dos buffets encontramos coxinhas, batatatinhas, pasteizinhos… e colocamos um de cada, na falsa ilusão de ‘é um só!’. Ok se for em pouca quantidade… mas pouca quantidade em muita variedade dá no mesmo!

Dica 5: Almoce com fome, e não com gula

 

fome

É meio estranha essa dica, afinal, é interessante que você esteja com fome no almoço. Mas uma fome ‘normal’. Se você está chegando no almoço querendo comer até o pé da mesa, talvez seja hora de reforçar seu lanche da manhã. Por isso é muito importante conversar com o nutricionista!

Dica 6: Sobremesas

brigadeiro

Eu não vejo problema nenhum em consumir sobremesa, desde que esse seja um desejo real e esteja no plano da alimentação diária. Açúcar faz mal em excesso, e sinceramente, não será um brigadeiro pós almoço que vai fazer você morrer de câncer ou algo do tipo. Tudo depende das estratégias que você e seu nutricionista vão seguir.

Dica 6: Não tenha pressa

keepcalm

Comer rápido é um dos grandes ‘venenos’, principalmente para quem quer perder peso. Coma devagar, mastigue lentamente, tenha calma. Isso tudo colabora para que seu cérebro ‘entenda’ que você está ficando saciado.

Essas dicas são bem genéricas, e (mais uma vez) tudo depende de cada um. De uma maneira geral, é comer de maneira consciente e intuitiva!

Espero que tenha ajudado, e que vocês tenham gostado!

Beijos,

assinatura