Semana 2 – #desafiopampulha #naocontocalorias18km

19 de maio de 2015

Alimentação para gripes e resfriados

19 de maio de 2015

Semana 3 – #desafiopampulha #naocontocalorias18km

19 de maio de 2015
correrpreguiça
gripeealimentação
desafiopampulha

Entrei na terceira semana de desafio. As coisas estão indo muitooooo bem.

Essa semana fez muito frio, e fiquei muito tensa, com medo de não conseguir correr, mas deu tudo certo. Como no domingo havia corrido (lembram do post da última semana?), na segunda fiquei descansando.

Também estava decidida a entrar na musculação, mas não consegui começar.

Quarta feira tive que encarar o meu primeiro – digamos – desafio. No sábado anterior, apareceu uma bolha que estourou bem na curvatura do meu pé esquerdo. Certa vez eu aprendi que bolha a gente deve abrir para cicatrizar mais rápido. Só que eu tenho o pé mais chato do planeta, e quando fui correr, é como se a pele repuxasse e a bolha abrisse mais (aiiii!!!!).

De qualquer maneira, fui ao treino de quarta – o que foi uma vitória. Se fosse há um tempo atrás, eu não teria nem saído de casa.

Ma depois só fui conseguir treinar no sábado, quando finalmente a bolha começou a melhorar – e eu tomei vergonha na cara para entender que deveria tratar direitinho e ter paciência para melhorar– senão não ia resolver nunca!

Essa bolha me fez pensar sobre esse lance de obstáculos que a gente encontra, principalmente para exercício físico e alimentação – ou até na vida. A gente sempre vai ter uma bolha. Se não quiser ter, não se arrisque. 

bolhasedieta

Fazer dieta, se reeducar, começar uma atividade física não é fácil (definitivamente nao é!). A gente encontra vários tipos de bolhas no caminho. No caso da alimentação, podemos aplicar a história da bolha em alguns momentos:

Se basear em informações duvidosas: essa idéia de furar a micro bolha estava completamente equivocada (pelo que eu fui procurar saber depois). Ou seja: me baseei numa informação que talvez funcione em um determinado caso (em um tipo ou tamanho específico de bolha), que recebi alguma vez há muito tempo atrás. Isso acontece muito com quem está querendo emagrecer e quer usar a dieta que a nutri passou há muito tempo. Ou até acreditar em informações totalmente inadequadas como ‘carboidrato a noite engorda’, ‘diabético não pode comer batata’, etc. Por isso: avaliem e atualizem SEMPRE as informações.

Testar seu limite: na quarta a bolha incomodou muito, acabou abrindo mais. Eu fiquei naquela ganância de treinar até o fim, mas acabei me prejudicando – na sexta não consegui correr por causa da maldita. E isso também acontece MUUUUUUUUITO quando estamos fazendo dietas de emagrecimento, principalmente nas restrições loucas: geralmente a pessoa fica 1, 2 ou 3 dias se restringindo ao máximo, e no quarto dia não aguenta e tem que deixar a restrição louca de lado – gerando compulsão, e muitas vezes estragando todo o processo. Por isso, antes de iniciar uma reeducação alimentar se questione: qual o meu limite? Será que não é melhor eu ir com calma para garantir algo sustentável?

– Ter paciência: eu acabei correndo sábado porque estava mais tranquilo. Mas talvez se eu tivesse pensado duas vezes, eu teria ficado quieta, e hoje a bolha estaria fechada (tá quase, mas sábado não aguentei e fui correr!). Depois de ver que o negócio ia acabar ficando feio pro meu lado, tomei consciência que não ia ter outra maneira, a não ser ficar quieta e tratar direitinho. Não adianta passar pomada e ficar forçando o pé a abrir a ferida! É também o que acontece quando a gente fica dando murro em ponta de faca em dieta que não adianta. Eu atendo muita gente que tá careca de saber que dieta da proteína só funciona durante um tempo, mas continua insistindo na idéia de fazer. A gente precisa ser menos cabeça dura! Existe uma frase do Einstein (acho que é dele) que diz algo do tipo:“Loucura é querer resultados diferentes fazendo tudo exatamente igual!”. Se eu passei a pomada e continuei correndo e não funcionou, o jeito é tentar a técnica do repouso! Paciência… O mesmo acontece com dieta: se uma dessas dietas loucas não deu certo uma vez, porque ela daria na segunda?

exatamenteigual

No final das contas, hoje é segunda e minha bolha já melhorou muito. Agora eu já sei como agir da próxima vez que tiver uma: sem teimosia, mas claro, se for algo que não esteja incapacitando minha corrida, sem usar de desculpa!

E para celebrar o texto e essa nova vida de corrida, acabei de me inscrever em mais uma prova – dessa vez de 10km, em montanha! \o/.

Equilíbrio sempre!

Espero que tenham gostado do post de hoje!

Mil beijos