Transgênicos: sim ou não?

11 de maio de 2015

Semana 3 – #desafiopampulha #naocontocalorias18km

11 de maio de 2015

Semana 2 – #desafiopampulha #naocontocalorias18km

11 de maio de 2015
empty image
desafiopampulha
correrpreguiça

Oi gente!

Estou de volta para contar como vai o andamento do meu #desafiopampulha #naocontocalorias18km! Semana passada foi a primeira semana depois de decidir que vou correr a pampulha – escrevi tudo nesse post aqui.

Então quarta passada começou a contagem regressiva: 7 meses para a prova. 30 semanas. Eu sou toda frenética, parece que nasci com uma pilha AA nas costas, já comecei a pensar “MEU DEUUUUSSSS 7 meses, preciso aumentar 9 km no que eu já corro!”. Hahahahaha.

Segunda passada então fui correr sozinha, porque minha parceira de treinos noturnos na segunda a noite está viajando. Quase não fui. E é justamente sobre isso que vou falar hoje no post: como vencer a barreira da preguiça.

correrpreguiça

Eu sou uma morning person, principalmente para exercícios físicos. Por mais difícil que seja, prefiro começar e já me livrar das obrigações mais difíceis. Além disso, acho que dá um outro gás no nosso dia, e a noite durmo bem melhor. Mas segunda é um dia que o sono me vence, então deixo para correr a noite. Segunda passada estava ameaçando uma chuvinha, e quaaaaaaase não fui. Mas cheguei em casa, coloquei meu tênis, vesti minha roupa e fui pra rua rapidinho. Essa é a primeira dica: NÃO PENSE MUITO. Se você pensar demais, acaba desistindo. Tem um vídeo excelente do Dr. Dráuzio Varella falando sobre exercício físico e preguiça, acho que vale muito a pena assistir.

https://www.youtube.com/watch?v=Ef01UqGlQek

Na terça feira fiz uns exercícios musculares em casa. Inclusive, essa semana começo musculação na academia, mas isso é assunto pro post da semana que vem… Quarta feira fui ao treino e minha professora me convenceu a fazer uma prova de montanha, de 10km, em junho. Eu entrei pra correr no asfalto, mas lá todo mundo fala tanto em montanha, montanha, montanha, que pensei “ahhhh, vou dar uma chance pra bendita montanha né?”. Já topei pra não dar tempo de desistir: mais uma experiência e mais 2km a mais pra conta. Essa é a segunda dica: FAÇAM PROVAS. Quando você tem um objetivo a ser concluído, rola aquela obrigação de treinar.

linhadechegada

Na quinta feira também repeti os exercícios e na sexta, adivinhem: NÃO FUI TREINAR!

Não falei que eu era uma pessoa normal gente? Acordei e estava um frio danado!!!! Imaginem se eu ia sair debaixo da coberta? Mas me prometi que iria sábado e domingo. Sendo assim, meu descanso semanal foi para sexta feira. Não devo fazer isso muitas vezes, senão perco o fio da meada, mas como eu disse, não sou de ferro.

O meu treino funciona da seguinte forma: tenho aulas quartas e sextas pela manhã. Mas também tenho uma planilha que devo seguir nos dias sem aula. Sábado e domingo, eu corro. Terça e quinta, faço fortalecimento e alongamento. Segunda eu descanso. Mas eu acabo mudando o dia do descanso, montando do meu jeito, porque tem dias que não dá pra ir por motivos externos – ou a preguiça me vence, e vira dia de descanso. 

Sexta, como eu sabia que ia precisar correr no sábado, resolvi não exagerar muito. Fui tomar uns choppinhos (#eumereço) de leve e já coloquei o despertador pra tocar. Foi sofrido gente… poder dormir até tarde e acordar cedo é difícil, mas eu tenho um objetivo a alcançar né, então… Fiz o meu treino correspondente a sexta feira e fui pra casa. No domingo, eu precisava correr 40′ seguidos, livre mesmo. Se eu fosse pro parque, onde eu já tô cansada de ver o percurso, eu ia acabar roubando, correndo menos, ficando com preguiça. E aí vem a terceira dica: MUDEM DE AMBIENTE SEMPRE QUE POSSÍVEL. Ir para um lugar novo é muito bom. Isso é uma questão meio psicológica, você acaba conseguindo completar o tempo com mais facilidade.

E claro, quarta dica: NÃO FIQUEM OLHANDO NO RELÓGIO. É desesperador! Eu corro com o frenquencímetro, então deixo sempre nos batimentos cardíacos, nem olho o tempo. Se eu olhar toda hora, parece que o relógio travou nos 10 minutos! Hahahaha. Por isso eu acho correr em esteira tão ruim! O tempo é eterno! Aliás, sugiro ver o Stand Up do Fábio Porchat, ele fala sobre essa fenda no tempo da esteira que eu também acredito que existe! Hahahahaha.

No domingo eu tinha que buscar umas flores, e o percurso da minha casa até o local era de 5,2km. Fui correndo até lá, imaginando que seriam os 40′. Então nem olhei pro relógio e fui. Ter um destino facilita muito, porque assim você corre até o lugar que precisa chegar, não precisa se preocupa com tempo, vai vendo o percurso, ouvindo uma musiquinha… Eu amei a experiência, e acho que vou começar a arrumar programas dominicais que dê para eu ir correndo!

O saldo final da primeira semana de #desafiopampulha foi super positivo: segui minha planilha com sucesso – mesmo ‘matando’ um dia; animada para uma próxima prova e começando a pensar em desafios um pouco maiores depois da Pampulha (mas não vou contar ainda #mistérios).

Espero que tenham gostado! Semana que vem tem mais!

Mil beijos,

Obs: essas dicas são totalmente pessoais! É o que está funcionando para mim! O acompanhamento profissional faz muita diferença! Até o próximo post!