Receita: Penne integral com brócolis, ricota e pesto de rúcula

20 de fevereiro de 2014

Opinião: Urban Remedy

20 de fevereiro de 2014

Vou contar sobre a chia

20 de fevereiro de 2014
empty image
empty image
Você conhece essa sementinha da foto? É a chia!
 
 

A chia se tornou a nova linhaça do mundo das dietas. Todo mundo quer a semente ou a farinha. Mas o que a chia tem de tão legal?

A chia é a semente da planta Salvia Hispanica comumente cultivada no México e outros países como a Gautemala e Colômbia. Entrou na nossa vida com algumas promessas:
 
 
 
 
 
 
 
 
Mas será que ela é esse milagre todo?
 
A chia é uma semente que tem altas concentrações de ômega-3 e fibras. Alguns estudos mostraram uma melhora no peso corporal de grupos que consumiram as sementes de chia, porém os indivíduos não foram somente submetidos a ingestão de chia, mas também a dietas regradas e até com redução calórica. Ou seja: não sabemos se a perda de peso teve uma colaboração direta da chia, ou se foi apenas a redução no valor das calorias que fez com que todos perdessem peso.
 
Outros estudos demonstraram resultados iguais (níveis de colesterol e peso, principalmente) naqueles grupos que consumiram e não consumiram chia.
 
Mas considerando os bons estudos feitos, há poucos dados que sugerem o uso de semente de chia para emagrecer.
 
E porque os nutricionistas indicam tanto?
 
Porque a chia é uma alternativa rica em fibras, assim como a linhaça. Veja abaixo os dados nutricionais:
 
(clique para ampliar)
 
A chia pode ser usada nos iogurtes, na tapioca, em panquecas, omeletes, misturada no arroz branco – que fica super gostoso… Basta usar sua criatividade (e claro, consultar sua nutri para saber como você pode fazer!).
 
Por ser rica em fibras, ela aumenta a saciedade, sendo uma aliada na perda e/ou manutenção de peso. E em conjunto com outros fatores, pode melhorar a função intestinal. Além disso, é rica em micronutrientes como Cálcio, Ferro e Magnésio, além de vários outros. 
 
E claro que é bem melhor escolher a chia em grãos. Existem alternativas como a farinha de chia – que também é válida – mas sabemos que quanto menos processado o alimento, melhor! :).
 
Mas o mais importante MESMO é procurar um nutricionista sério que consiga adequar a chia na sua dieta, ao invés de ficar procurando resultados milagrosos, ok? 
 
Beijos,
 
até a próxima!
Marina
Ps: a pesquisa dos estudos foi feita com base na plataforma PubMed.