Batalha de produtos: clight e h2oh

12 de fevereiro de 2014

Receita: Penne integral com brócolis, ricota e pesto de rúcula

12 de fevereiro de 2014

Vou contar sobre as fibras

12 de fevereiro de 2014
empty image
empty image
Quando seu nutricionista pega sua avaliação para montar um plano nutricional, com certeza se preocupa com a ingestão de fibras.
Segundo a definição da American Association of Cereal Chemists (1999), “fibra alimentar é a parte comestível de plantas ou carboidratos análogos que são resistentes à digestão e absorção no intestino delgado de humanos, com fermentação completa ou parcial no intestino grosso de humanos. A fibra alimentar inclui polissacarídeos vegetais (…) e substâncias associadas de plantas.”
Ou seja: elas são essenciais para uma boa saúde. Além de reguladoras do funcionamento intestinal (alô galera do intestino preso!!!) elas provocam saciedade, sendo grandes aliadas na perda e na manutenção do peso.
A recomendação da Organização Mundial de Saúde é de 25g a 30g de fibras por dia. Mas como bater essa meta?
Vegetais, frutas, verduras e cereais são ótimas fontes de fibra. Mas se você  der uma volta nos supermercados, vai observar que existem vários produtos ‘integrais’, ‘ricos em fibras’ e ‘fonte de fibras’. Mas qual escolher?
Já contei nesse post aqui sobre os ‘falsos’ integrais. Mas vale a pena relembrar: você encontra vários alimentos com rótulos escritos ‘integral’ mas na verdade não são. Sempre ao olhar os ingredientes dos produtos, você deve verificar qual a ordem determinado elemento aparece. Isso porque os ingredientes são escritos na ordem de quantidade: aqueles que estão em maior quantidade no produto estão nos primeiros lugares. Ou seja, alimentos ‘verdadeiramente’ integrais devem ter elementos integrais na primeira posição. Veja exemplos:
Mas e se eu tiver preguiça de ler o rótulo? E se o alimento que eu comprar tiver um primeiro ingrediente que eu não conhecer?
Aí você pode optar por escolher alimentos fonte ou ricos em fibra. E qual é melhor? Qual a diferença?
Alimentos ‘fonte’ devem ter no mínimo 2,5g de fibra por porção (no caso de alimentos preparados, no mínimo 3g a cada 100g)
Alimentos ‘ricos’ devem ter no mínimo 5 g de fibra por porção (no caso de alimentos preparados, no mímimo 6g a cada 100g)
Veja abaixo:

 A opção mais inteligente é o alimento rico em fibra! Mas claro, tudo depende da sua ingestão total, por isso é importantíssimo conversar com um nutricionista, pois cada caso é um caso.

Gosto também de lembrar que é MUITO importante beber água. Não adianta se encher de fibras e não beber nem meio gole! Ok?

No mais, procurem se alimentar de maneira mais natural possível, e enriquecer a alimentação com grãos variados.

Até a próxima!

Beijos,

Marina