Raspando o prato!

Raspando o prato!

Fartura e excesso de comida são comuns na mesa Brasileira. A máxima “melhor sobrar do que faltar” rege nossa vida culinária e alimentar. Mas isso gera um consumo exagerado e um hábito difícil de largar: deixar comida no prato e parar de comer quando estamos satisfeitos e saciados.

A sensação de desperdício, a culpa da frase “tanta gente morrendo de fome, e você deixando comida no prato” e aquela ordem proferida por 9 de 10 mães brasileiras “tem que comer até raspar o prato” tornam a opção de comer além da nossa saciedade numa obrigação.

E geralmente é nesse excesso que moram o problema e a solução. O problema: depois de anos raspando o prato, comemos até nossa barriga ficar cheia, com aquela sensação de que no nosso estômago não cabe nem mais uma azeitona. E confundimos isso com ‘estar saciado’. Ou seja: pensamos que só com a barriga lotada é que nossa fome vai embora. Raspando o prato, vamos ganhando peso e comendo além do suficiente.

Read More

Vou contar sobre a Whole30

Vou contar sobre a Whole30

Ficar 30 dias sem comer açúcar já é comum no fantástico mundo da internet. Outros alimentos e ingredientes também fazem parte desse tipo de 'desafio’ - que nada mais é que uma restrição disfarçada de de atitude bem intencionada, como escrevi aqui nesse post.

Agora imagine ficar 30 dias sem: açúcar ou adoçante (nenhum tipo), álcool (nem pra preparar um risotto), grãos (como arroz, milho, aveia, etc), oleaginosas (amendoim, pasta de amendoim, castanhas, etc), leite e derivados e nenhum alimento processado ou ultraprocessado. Se você já está craque em decifrar dietas, pode perceber que essa é mais uma que deixa disponível para você come apenas carne, frango, peixe, ovos, legumes, verduras, algumas frutas e água. Ou seja: uma nova dieta da proteína.

WHOLE30

Essa dieta que descrevi acima se chama Whole30 e foi criada por Melissa e Dallas Hartwig, um casal americano que deu vida a essa ‘nova forma de se alimentar’.

Read More

Vou contar sobre os shakes

Vou contar sobre os shakes

Shakes dietéticos são velhos conhecidos do mundo do emagrecimento. Me lembro das propagandas de cinturas envolvidas em uma fita métrica e um copo da bebida que se assemelhava a um milkshake de chocolate estampando várias páginas de revistas. Também me lembro dos carros com adesivos Herbalife, e até hoje é só dar uma volta pelas academias que você verá muita gente com sua garrafinha sendo sacudida pra lá e pra cá logo depois de acabar a malhação.

Eu, na minha inocência, acreditava que as pessoas já tinham entendido que trocar refeições por shakes não é uma boa opção. Ledo engano: a pergunta ‘o que você acha de shakes’ ou ‘você recomenda um dia de sucos detox?’ são perguntas frequentes por aqui - e lá no instagram do blog.

O PODER DOS SHAKES

A promessa dos shakes é proporcionar o emagrecimento com saúde ‘pois uma porção equivale a uma refeição e é nutritivamente completo’ ou ‘garante a quantidade necessária de nutrientes de uma refeição'. Em geral recomenda-se substituir 2 ou mais refeições pelo shake.

Read More

A última Ceia

A última Ceia

A última Ceia, descrita na Bíblia em vários evangelhos, representa o momento antes da paixão - morte e crucificação de Jesus. Nessa ceia, Ele teria sentado com os apóstolos e dividido a refeição.

Em Santa Maria delle Grazie está o afresco de Leonardo Da Vinci que representa esse momento. A imagem muito conhecida por todos, ateus ou crentes. A pintura - feita na parede de um refeitório - é incrível e emocionante de ver.

A última ceia bíblica ocorre antes de Páscoa para Jesus. Mas para muitas pessoas aqui, do plano terreno, ela acontece quase diariamente. A sensação de “tenho que comer isso porque não sei quando vou comer de novo, já amanhã eu volto/começo a dieta” é recorrente - mas também muito comum em uma época de celebração cristã: o Natal.

Read More

Metas para 2019

Metas para 2019

Acho que é comum traçar metas para o novo ano que começa. “Ano que vem eu vou…” é a amplificação de “segunda eu começo”, mas de uma maneira mais agressiva e esperançosa.

Não vejo problema nenhum em fazer metas, eu até encorajo o hábito. Desde que seja algo consciente e realizável, pois de nada adianta encher uma folha de objetivos a cumprir e chegar ao final do ano com a frustração de não ter feito nada.

Dietas, atividade física e emagrecimento sempre estão nas metas mais listadas. E também nas maiores frustrações nos consultórios de nutricionistas e terapeutas. E tudo bem você pegar o ânimo do ano novo para colocar em prática algumas mudanças que quer fazer, mas já pensou em encarar isso de uma maneira diferente?

Read More