A batalha dos gregos

O grego chegou no mercado há aproximadamente 1 ano causando frisson. Extremamente saboroso, sem o gosto peculiar dos iogurtes - eu comparo a um chantilly! - fez a cabeça e a barriga de muita gente.

Claro, nos consultórios de nutricionistas, clientes sorriam felizes contando que estavam comendo sim de 3 em 3 horas, graças ao grego. E saíam tristes quando os profissionais contavam que o grego é, na verdade, riquíssimo em gordura e açúcares. Claro, a empresa alimentícia não deixou a peteca cair, e criou as versões light ou 'zero'.

Realmente o iogurte é uma delícia... temos várias marcas comercializando esse produto. Resolvi fazer uma comparação dos produtos de 4 marcas - Danone, Vigor, Batavo e Nestlé - e todos os produtos com denominação 'grego', que somaram 21 tipos diferentes, desde as versões tradicionais as versões com polpa de frutas ou sabores diferentes.

Essa avaliação foi feita através de coleta das informações nutricionais pelo site de cada produto. Alguns iogurtes tem 120g, outros 90g, outros 100g. Então fiz toda a comparação com base em 100g ok? 

A variação calórica de cada iogurte é enorme - 100 kcal. Mas como sabemos que não basta olhar o valor calórico, vamos observar outros fatores (carboidratos, proteínas e lipídios).

Aqui, os valores de carboidrato em gramas. É muito importante lembrar que, no caso do grego, a maior parte dos carboidratos são açúcares! Simmmm, açúcar mesmo. Infelizmente, apenas a Vigor dá os valores de açúcares de alguns produtos (o Vigor Zero: dos 5,2g de carboidratos = 4,3g açúcares e o Vigor Morango Zero: dos 5,8g de carboidratos = 5,1 são açúcares). Os produtos light, por exemplo, podem ter uma redução calórica devido ao baixo teor de gordura, mas continuam ricos em açúcar.  

Para os caçadores de proteína, os valores! A variação não é tão grande quanto o carboidrato e a caloria, mas é interessante. Muito cuidado quando lerem nas propagandas a frase 'até o dobro de proteína que outros gregos'. Se equipararmos (como fiz aqui) as porções, veremos que esse dobro é causado pela quantidade maior de iogurte no pote. O produto que diz ter até o dobro de proteína, tem, na verdade, até o dobro de quantidade de iogurte na embalagem (180g versus 100g).

Os lipídios, que são as gorduras, estão

bem

representados nos iogurtes gregos. As versões zero e light tem as quantidades menores, e as versões tradicionais, as maiores - o que já era de se esperar. Nenhum iogurte grego tem gordura trans. A quantidade de gordura saturada equivale, de maneira geral, a 50% - 70% da gordura total.

E por último, mas não menos importante: O cálcio! Gente, os gregos da Nestlé não tem cálcio! Alguém explica? Uma amiga (beijo, Gabys!) entrou em contato com a Nestlé uma vez para questionar a ausência de Cálcio, e não obteve resposta. No site da Nestlé também não conseguimos ver a lista de ingredientes... Enfim, é um ponto para se pensar antes de comprar - se a idéia for consumir como uma fonte de cálcio.

Conclusão...

Fazendo uma análise rápida, o Vigor Zero parece ser o mais interessante: tem mais cálcio, não tem gorduras, tem menos carboidratos, menos calorias e mais proteínas. Porém, contém edulcorantes (ou seja, adoçantes). Mas, para quem toma adoçante, acho uma boa opção. 

Se eu fosse escolher um, escolheria o Batavo Tradicional - pois tem uma quantidade ok de calorias, ok de cálcio, 2g de gordura (menos que um iogurte integral normal), bastante proteína (isso pra mim não faz tanta diferença, mas é uma vantagem que ele tem sobre os outros) e uma quantidade média de carboidrato (apesar de eu saber que a maioria é açúcar). 

O quesito sabor eu não avaliei porque não seria fácil tomar 21 iogurtes diferentes, hahahaha. Brincadeira, porque gosto é gosto né? E não vejo graaaaandes diferenças. E vocês?

É muito difícil escolher o melhor ou pior. Para cada caso, existe uma classificação.

O fato é que o iogurte grego é uma delícia, mas deve ser tomado com precaução - eu não indico como lanches intermediários (por exemplo) pela quantidade aumentada de gordura que eles tem em comparação a outros iogurtes.

Enquanto um iogurte natural integral tem 4,11 g de gordura em 100g, um grego pode ter quase o dobro: 7,0g de gordura.

Por isso lembrem sempre de olhar os ingredientes e a tabela nutricional dos alimentos: muitas vezes um alimento com baixa caloria pode ser rico em gorduras ou em açúcares, e pobre em outros nutrientes. Avalie bem seu objetivo!

Mas não deixe de se deliciar... os grego realmente é muito gostoso, e tem seu lugar!

Beijos,

até a próxima

Marina

Curiosidade: Segundo a colunista da New Republic, Margy Slaterr, o nome grego é mais uma jogada de marketing das empresas: os americanos, segundo alguns historiadores, associam a palavra "grego" a alimentação saudável, mediterrânea... E o iogurte grego não é de fato grego! Ele se assemelha mais com os iogurtes produzidos nos Balcãs, mais especificamente na Bulgária. 

O post ficou grande, mas tentei fazer de maneira mais detalhada possível! :)