Tá no rótulo - informação nutricional

Está rolando na internet uma petição para que a Anvisa revise a norma de rotulagem nutricional brasileira. O endereço para assinar a petição está aqui: http://alimentacaosaudavel.org.br/campanhas/rotulagem/

Essa petição serve para que a Anvisa reformule a maneira como as informações nutricionais são colocadas nos produtos industrializados, com base em pesquisas que mostram que a população brasileira tem dificuldade de entender e analisar essas informações.

Na minha prática clínica, é comum que eu mostre como avaliar os dados nutricionais das embalagens, e como fazer melhores escolhas a partir dessa análise. Porém, sou contra demonizar qualquer alimento, seja ele industrializado ou não.

rotulagem.png

Saber os ingredientes (mais do que entender a tabela nutricional) é importante para que você faça escolhas corretas, e não compre gato por lebre. E isso acontece muito, por exemplo, com os produtos integrais (pães, biscoitos, etc): várias vezes o fabricante indica que aquele produto 'tem cereais integrais' e ele automaticamente ganha uma identidade de produto saudável. Porém, se você avaliar os ingredientes e a tabela nutricional, verá que ele só tem produto integral, mas não é de fato integral.

Michael Pollan discute sobre essa 'enganação' no seu livro "Em defesa da comida". Ele afirma que os consumidores não tem idéia do que fazer com as alegações quanto a benefícios para saúde qualificadas e as empresas promovem as afirmações mais ou menos como quiserem - ou seja, colocam as 'boas' afirmações em letras bem grandes e, em seguida, a realidade em letras bem pequenas. 

Minha opinião

Concordo com a mudança proposta, apoio e assino a petição. Acredito que a maior parte da população não está apta a fazer essa avaliação que explico no consultório, por questões socio-econômicas. 

Mas peço que, para quem tem um entendimento maior sobre esses detalhes, não demonize todos os alimentos. Nossa alimentação deve ter como base aqueles alimentos que reconhecemos como comida e/ou com ingredientes que reconhecemos como comida: os alimentos in natura ou minimamente processados.

biscoitosalgado.png

Porém,  chega sexta a noite e as vezes bate a vontade de comer um hot dog. E aí você não vai comer porque a salsicha está cheia de ingredientes? Claro que não. Você sabe que aquilo que está comendo não faz parte da base da sua alimentação, é um momento pontual. 

Outra parte importância de entender os rótulos nutricionais é tirar a idéia de que a prateleira 'saudável' do supermercado realmente faz jus ao nome porque tem no seu rótulo as palavras 'integral' ou 'sem gordura trans' (entre outras). A maioria desses produtos, justamente por ter essa abordagem, são consumidas em excesso. Não adianta comprar o que 'não tem gordura trans' e devorar o pacote na esperança de não ser prejudicado.

Eu acredito na lucidez das nossas escolhas. Não se engane comprando o biscoitinho que tem um trigo desenhado na capa, porque aquilo te remete a algo integral. Leia os ingredientes. E se tiver com vontade de comer um biscoito recheado, num momento eventual, não será aquilo que vai te prejudicar.

O que prejudica mesmo é a falta de informação e o terrorismo nutricional. Ah, e transformar os processados na base da sua alimentação!

Até a próxima,

Marina