Nhoque da Fortuna

Ontem, dia 27, eu estava preparando nhoque (ou gnocchi, na grafia original) e postei no instagram. Uma amiga comentou: "mas o dia do nhoque é só dia 29!".

O Nhoque da Fortuna - como é conhecido no Brasil - simboliza o ritual de comer nhoque com uma nota embaixo do prato, trazendo fortuna para aquele que come. Mas será de onde vem essa historia?

A origem do ritual tem várias versões. Alguns dizem que o tudo começou com os imigrantes italianos na Argentina que ao final do mês, dias antes do pagamento estavam com o dinheiro escasso e com esse dinheiro só dava para comprar batatas e farinha. Logo, os nhoques eram a solução perfeita. 

Outros dizem que certo dia São Pantaleão visitava um vilarejo italiano e pediu comida para uma família pobre. O chefe da família dividiu a comida com o santo e o restante da família comeu apenas um pouquinho de nhoque. Depois de São Pantaleão ir embora, os donos encontraram moedas de ouro embaixo de cada prato, dando origem ao costume.

Não sei qual história é verdadeira. Só sei que eu adoro nhoque. Já fiz várias receitas: de três batatas, de grão de bico, de cenoura... ontem decidi fazer de batata doce com semôla - e ficou deliciosa!

Aproveitando que amanhã é dia 29, vou deixar a receita aqui para que vocês possam tentar. A receita é fácil, você pode aproveitar para fazer bastante de uma só vez e depois congelar, garantindo o almoço ou o jantar de vários dias de preguiça. 

IMG_7834.JPG

Nhoque de Batata Doce com Sêmola

4 batatas doces grandes (ao lado, o tamanho das batatas doces)

8 a 10 colheres de sêmola Grano Duro (usei da marca Caputo)

1 colher (sobremesa) de sal

1 ovo

Lave bem e descasque as batatas doces. Corte em cubos e cozinhe* até que fique macia.

Com um espremedor de batatas, amasse até que elas virem um purê. Polvilhe um pouquinho de sêmola e espere esfriar (por uns 10 minutos). Depois, lave o ovo, quebre em um recipiente e coloque ele sobre o purê. Adicione o sal e misture bem com as mãos. Prove para ver se está bom de sal. 

nhoque.JPG

Vá adicionando a sêmola, colher por colher, até que o purê fique fácil de manusear. A idéia é você conseguir formar 'cobrinhas' com esse purê, sem que eles grudem nas mãos. Quanto menos sêmola você usar, mais saboroso o nhoque fica.

Quando tiver dado um ponto bom, povilhe um pouco de sêmola em uma bandeja grande e sobre uma bancada. Na bancada, coloque pequenas porções desse purê e forme as 'cobrinhas'. Depois, com uma faca bem afiada - ou uma régua fina - vá cortando os pedacinhos de tamanho similar. Coloque sobre a bandeja. 

Separe um refratário com azeite (untando o refratário). Aqueça uma panela com água e assim que começar a ferver, coloque os nhoques aos poucos. Eles irão descer para o fundo da panela e quando subirem até a superfície da água, retire com uma escumadeira e coloque no refratário. Está pronto!

Observações

Você pode cozinhar no vapor, assar ou cozinhar em água. Eu prefiro cozinhar no vapor ou assar, assim a batata vai precisar de menos sêmola para dar o ponto de nhoque, pois estará menos hidratada. 

Você pode usar farinha de trigo, farinha de aveia... Eu achei que a batata doce casou bem com a sêmola, mas você pode variar!

Você pode congelar os nhoques já cozidos ou não. Na hora de descongelar, basta tirar direto do congelador para a panela com água fervente

Esse nhoque fica bem com manteiga e sálvia, molho de queijo ou molho de tomate

Espero que preparem esse nhoque! Faz um pouco de bagunça, confesso. Mas aproveite pra fazer uma quantidade generosa e deixar pronto para outras refeições! Ah! Essa receita rendeu 3 pratos generosos, mas tudo depende do tamanho da batata doce, ok?

Se prepararem, me marquem ou me enviem pelo instagram! Vou adorar <3

Até a próxima,

Marina

UM ABRAÇO PARA LÍGIA, COLABORADORA HONORÁRIA DESSE BLOG. ELA QUE ME 'ILUMINOU' NA POSTAGEM DESSA RECEITA E QUE FOI ESSENCIAL PRA ESCOLHA DO NOME 'NÃO CONTO CALORIAS' <3 LIGIOCA! <3