PÕE NO COPO: ARROZ

O arroz vive na mesa do brasileiro há muito tempo. No livro “a culinária caipira da Paulistânia", Carlos Alberto Dória informa que o arroz chegou primeiro a Bahia, em 1530, e depois a São Vicente, por volta de 1550 - provavelmente introduzido no Brasil, como cultivo, via Cabo Verde.

  Retirado do Pinterest

Retirado do Pinterest

Independente de como ele veio parar aqui, o fato é que o arroz não falta na mesa do brasileiro. Até um tempo atrás comia-se só arroz branco, até que o integral foi tomando conta da nossa mesa, e hoje encontramos vários tipos em supermercados comuns.

O arroz integral difere do branco na presença do farelo, camada retirada no caso deste último. Por isso ele é mais rico em fibras e outros compostos bioativos. E sei que aqui a gente não conta calorias mas preciso dar essa informação: arroz integral não é mais ‘light’ do que o arroz branco. Se você não gosta do integral mas come achando que o branco engorda e ele não, liberte-se. Coma seu arroz branco feliz da vida.

Eu não curto arroz integral, por isso fiz a medida do #PõeNoCopo com o arroz branco: mas a quantidade de arroz integral é a mesma, tá?

PRA FAZER UM ARROZ BRANQUINHO E SOLTINHO

Na minha opinião, um arroz soltinho não tem preço. Eu gosto do arroz parboilizado, que acho mais fácil de deixá-lo solto sem exagerar no óleo, e me remete ao arroz da minha avó Luiza, que era o melhor arroz da vida. Ele é igualzinho o arroz branco, mas passa por um processo de pré-cocção que permite que ele quebre menos e fique mais al dente na hora de cozinhar.

Mas se você quiser usar o arroz branco tradicional, não tem problema. Algumas dicas pro arroz sair de um jeito legal estão aqui pra te ajudar!

QUANTIDADE

A embalagem do arroz diz que uma porção equivale a 50g. E esses 50g equivalem a meio copo americano.

ESPAÇO

Arroz precisa de espaço pra crescer - depois de cozido, ele quase dobra de tamanho. Então se for fazer muito arroz numa panela pequena, ele vai empapar.

ÓLEO

Você não precisa usar uma tonelada de óleo ou azeite pra preparar o arroz. O segredo é esquentar bem o óleo - se for refogar a cebola/alho, cuidado para eles não dourarem, senão você vai ‘manchar’ o arroz. Depois, adicione o arroz e misture bem até que ele fique bem untado: esse é o segredo do arroz soltinho.

ÁGUA

arrozpronto.jpg

Use o dobro de água para cada parte de arroz. Exemplo: usou 1/2 copo de arroz, use 1 copo de água. Eu aprendi a fazer sempre com a água quente, então na hora de começar a preparar já deixo um bule com água no fogo. Assim que jogar a água, coloque um pouco de sal, deixe o fogo alto e espere ferver. Abaixe o fogo, deixe a panela semi aberta e espere.

DEIXE O ARROZ MEDITANDO

Você não pode ficar mexendo o arroz enquanto ele cozinha. Deixa ele lá quietinho, meditando. Quando começar a fazer umas ‘bolhas’ na superfície do arroz e você delicadamente afastar com o garfo e ver que a água está secando, adicione mais água - mas só um pouquinho, pra acabar de cozinhar. Espere um pouco.

O COZIMENTO ACABA

Pra acabar de cozinhar o arroz, desligue o fogo e tampe a panela; ele vai cozinhar no próprio calor. Por isso é importante dar aquela provada no arroz antes do processo: se ele já estiver muito cozido, destampe a panela ou ele virará uma papa. Se ele ainda estiver muito al dente, é só tampar e esperar.

Para temperar o arroz, eu uso mais ou menos 1 colher (rasa) de sal para 4 porções - ou seja: 1 pitada por porção. Mas tudo depende do seu paladar. Você pode usar salsinha, cebolinha, alho frito, gergelim, cenoura ralada e vários outros ingredientes pra variar os sabores!

PARA ARMAZENAR

O arroz cozido na geladeira dura até 3 dias. No congelador, um mês. O importante é deixá-lo esfriar antes de guardar, pra evitar que formem aquelas gotinhas na tampa do recipiente e deixe um gosto de ‘arroz velho'. Outra dica é não temperar o arroz, deixar para temperar na hora - eu nunca fiz, mas tem gente que garante que funciona!

“Lembrando que a medida é equivalente a quantidade do arroz SECO e que tudo vai depender da sua fome: para algumas situações 50g pode ser pouco, para outros muito. É ir tentando até achar a quantidade certa!”

Gostaram?

Até a próxima!

Marina