Põe No Freezer

Outro dia falei aqui sobre comer ‘só porque sobrou'. Esse é um hábito comum, e que pode explicar determinados excessos alimentares que nem percebemos.

Quando estamos no restaurante, podemos pedir pra embrulhar e comer mais tarde. Em casa, a conversa é outra…

O primeiro passo para reduzir esse hábito, é tentar ajustar as quantidades. A Tag #PõeNoCopo aqui do blog pode te ajudar. O segundo passo é aprender a armazenar o que cozinhamos. Afinal, a gente bem gostaria, mas não somos Rita Lobo. E as vezes, pra cozinhar, a gente precisa daquela ajuda extra do freezer - e também pra gente saber o que dá pra guardar para uma próxima refeição.

Por isso eu comecei uma nova série de posts, a #PõeNoFreezer, que vai te ensinar a congelar os alimentos - crus ou preparados. Mas também vou falar sobre conservação de uma maneira geral, levando em consideração não só o congelador, mas também a geladeira - e porque não, a temperatura ambiente.

Como armazenar frutas? E legumes, verduras? Carne crua, peixe, frango assado. Como descongelar? Pode recongelar? Por quanto tempo guardar?

Todas essas perguntas serão respondidas ao longo do tempo, em posts distribuídos aqui e no blog.

Mas antes de começar, quero te convidar a já reunir todo o material necessário para isso.

Meu arsenal da organização. Marie Kondo adoraria!

Aqui alguns materiais que eu uso. Mas claro, você não precisa disso tudo. Porém, o básico é interessante:

Fita Mágica: esse durex é uma fita que você pode escrever por cima. A vantagem dele é que ele fica bem preso ao ziploc ou vasilhame que você for usar. Você pode também usar fita crepe, mas dependendo de onde colocar, ela pode descolar.

Caneta: Coloquei um asterisco porque você pode usar vários tipos de caneta. Essas permanentes, parar escrever em CD, são ótimas. Mas não saem! Se você for usar só um vasilhame para um ingrediente sempre, tudo bem. Você preenche uma vez e pronto. A vantagem é que ela não sai com a umidade. E pode usá-la para preencher a fita mágica ou a fita crepe.

Você também pode usar aquelas canetas de escrever em taça de vinho. Porém, elas saem com a umidade - e o interessante é que a informação fique onde você está armazenando.

Etiqueta: é uma outra alternativa a fita mágica ou a caneta. Encontrei umas folhas de etiqueta da Primarco específicas para legumes. Essas etiquetas, me garantiu o vendedor, não saem na umidade do congelador. Você pode comprá-las já na medida certa, mas comprei uma folha inteira e vou cortar (com a tesoura) a medida que eu precisar.

Etiquetadora: é o ápice da organização. Eu comprei a minha esses dias e tô etiquetando até pensamento, hahahaha. Isso facilita muito, e deixa tudo mais bonitinho e fácil de ler. Além disso, dá pra usar em outros momentos (para temperos, por exemplo). Se você tem em casa, ótimo. Senão, nem precisa.

ZipLoc: Eu sou fã de ziploc. Fico pensando sobre todo esse plástico que acabo usando pra armazenar os alimentos, mas uma batalha eu vou ter que perder. Prefiro não usar sacola no supermercado e evitar o desperdício de comida pra usar o ziploc. Também reutilizo os meus, lavando com bucha e sabão e, quando possível, coloco na máquina de lavar louça pra que eles tomem aquele banho de água quentinha. Gosto de comprar caixinhas de zip em lojas de itens japoneses (tipo Daiso), pois o preço é melhor e eles vendem em vários tamanhos! Mas você também pode aproveitar potes de geléias limpos e esterilizados ou até outros vasilhames que você está acostumado.

Formas de gelo também são super úteis. Outra coisa que gosto de guardar são potes de plástico, e nem precisa ser de sorvete, que é muito grande. Qualquer potinho de plástico bacana que vier em algum dia que você pedir um delivery pode ser utilizado!

REGRAS DE OURO

Para armazenamento, há algumas regras de ouro:

Meu freezer, depois de uma organização geral

Meu freezer, depois de uma organização geral

Tábuas, facas ou quaisquer utensílios que você usar para manipular seus alimentos devem estar limpos. Lave bem com água e sabão neutro, sempre. Congelador e geladeira limpos e pouco entulhados também garantem uma boa circulação de ar e temperaturas adequadas.

Não é recomendado que você recongele os alimentos já descongelados. Isso aumenta o risco de intoxicação alimentar. Por isso é tão importante congelar em porções menores, assim você não descongela e desperdiça - ou come em excesso para não jogar fora.

O congelador (ou freezer) não é uma máquina da eternidade. Ou seja: não dá pra guardar lá e esquecer pra sempre. Canetas e etiquetas são essenciais para isso: assim você consegue colocar a data de validade - e se não souber, a data de congelamento.

Cada alimento tem um tempo de geladeira - e é o que vou ensinar ao longo dos posts. Não existe uma regra geral que contemple qualquer alimento.

Alguns nutrientes se perdem com o congelamento, mas você NÃO PRECISA SE PREOCUPAR, desde que sua alimentação não seja exclusivamente feita por congelados!

ARMAZENAR PARA FACILITAR - MAS SEM EXAGERAR!

Congelar ou refrigerar alimentos facilita muito a nossa vida. Mas isso não pode virar uma regra. Quando perguntei numa enquete lá no instagram sobre quais alimentos as pessoas tinham dúvidas (em relação) ao armazenamento, a palavra ‘macarrão’ apareceu com frequência. Dá sim para armazenar macarrão, mas vamos combinar que não é algo que precisa ser armazenado. Cozinhar um macarrão é tão rápido - e bem mais gostoso fresquinho.

Portanto, geladeira e congelador são bons companheiros na cozinha prática do dia a dia, mas como coadjuvantes. Mão na massa e alimentos frescos devem ser os protagonistas, sempre!

Aguardem os próximos posts!

Marina

marina nogueira