A batalha dos gregos

O grego chegou no mercado há aproximadamente 1 ano causando frisson. Extremamente saboroso, sem o gosto peculiar dos iogurtes - eu comparo a um chantilly! - fez a cabeça e a barriga de muita gente.

Claro, nos consultórios de nutricionistas, clientes sorriam felizes contando que estavam comendo sim de 3 em 3 horas, graças ao grego. E saíam tristes quando os profissionais contavam que o grego é, na verdade, riquíssimo em gordura e açúcares. Claro, a empresa alimentícia não deixou a peteca cair, e criou as versões light ou 'zero'.

Realmente o iogurte é uma delícia... temos várias marcas comercializando esse produto. Resolvi fazer uma comparação dos produtos de 4 marcas - Danone, Vigor, Batavo e Nestlé - e todos os produtos com denominação 'grego', que somaram 21 tipos diferentes, desde as versões tradicionais as versões com polpa de frutas ou sabores diferentes.

Essa avaliação foi feita através de coleta das informações nutricionais pelo site de cada produto. Alguns iogurtes tem 120g, outros 90g, outros 100g. Então fiz toda a comparação com base em 100g ok? 

A variação calórica de cada iogurte é enorme - 100 kcal. Mas como sabemos que não basta olhar o valor calórico, vamos observar outros fatores (carboidratos, proteínas e lipídios).

Aqui, os valores de carboidrato em gramas. É muito importante lembrar que, no caso do grego, a maior parte dos carboidratos são açúcares! Simmmm, açúcar mesmo. Infelizmente, apenas a Vigor dá os valores de açúcares de alguns produtos (o Vigor Zero: dos 5,2g de carboidratos = 4,3g açúcares e o Vigor Morango Zero: dos 5,8g de carboidratos = 5,1 são açúcares). Os produtos light, por exemplo, podem ter uma redução calórica devido ao baixo teor de gordura, mas continuam ricos em açúcar.  

Para os caçadores de proteína, os valores! A variação não é tão grande quanto o carboidrato e a caloria, mas é interessante. Muito cuidado quando lerem nas propagandas a frase 'até o dobro de proteína que outros gregos'. Se equipararmos (como fiz aqui) as porções, veremos que esse dobro é causado pela quantidade maior de iogurte no pote. O produto que diz ter até o dobro de proteína, tem, na verdade, até o dobro de quantidade de iogurte na embalagem (180g versus 100g).

Os lipídios, que são as gorduras, estão

bem

representados nos iogurtes gregos. As versões zero e light tem as quantidades menores, e as versões tradicionais, as maiores - o que já era de se esperar. Nenhum iogurte grego tem gordura trans. A quantidade de gordura saturada equivale, de maneira geral, a 50% - 70% da gordura total.

E por último, mas não menos importante: O cálcio! Gente, os gregos da Nestlé não tem cálcio! Alguém explica? Uma amiga (beijo, Gabys!) entrou em contato com a Nestlé uma vez para questionar a ausência de Cálcio, e não obteve resposta. No site da Nestlé também não conseguimos ver a lista de ingredientes... Enfim, é um ponto para se pensar antes de comprar - se a idéia for consumir como uma fonte de cálcio.

Conclusão...

Fazendo uma análise rápida, o Vigor Zero parece ser o mais interessante: tem mais cálcio, não tem gorduras, tem menos carboidratos, menos calorias e mais proteínas. Porém, contém edulcorantes (ou seja, adoçantes). Mas, para quem toma adoçante, acho uma boa opção. 

Se eu fosse escolher um, escolheria o Batavo Tradicional - pois tem uma quantidade ok de calorias, ok de cálcio, 2g de gordura (menos que um iogurte integral normal), bastante proteína (isso pra mim não faz tanta diferença, mas é uma vantagem que ele tem sobre os outros) e uma quantidade média de carboidrato (apesar de eu saber que a maioria é açúcar). 

O quesito sabor eu não avaliei porque não seria fácil tomar 21 iogurtes diferentes, hahahaha. Brincadeira, porque gosto é gosto né? E não vejo graaaaandes diferenças. E vocês?

É muito difícil escolher o melhor ou pior. Para cada caso, existe uma classificação.

O fato é que o iogurte grego é uma delícia, mas deve ser tomado com precaução - eu não indico como lanches intermediários (por exemplo) pela quantidade aumentada de gordura que eles tem em comparação a outros iogurtes.

Enquanto um iogurte natural integral tem 4,11 g de gordura em 100g, um grego pode ter quase o dobro: 7,0g de gordura.

Por isso lembrem sempre de olhar os ingredientes e a tabela nutricional dos alimentos: muitas vezes um alimento com baixa caloria pode ser rico em gorduras ou em açúcares, e pobre em outros nutrientes. Avalie bem seu objetivo!

Mas não deixe de se deliciar... os grego realmente é muito gostoso, e tem seu lugar!

Beijos,

até a próxima

Marina

Curiosidade: Segundo a colunista da New Republic, Margy Slaterr, o nome grego é mais uma jogada de marketing das empresas: os americanos, segundo alguns historiadores, associam a palavra "grego" a alimentação saudável, mediterrânea... E o iogurte grego não é de fato grego! Ele se assemelha mais com os iogurtes produzidos nos Balcãs, mais especificamente na Bulgária. 

O post ficou grande, mas tentei fazer de maneira mais detalhada possível! :)

Vou contar sobre os iogurtes...

Acredito que a grande parte das pessoas que se preocupam com boa alimentação tomam iogurte, com exceção dos intolerantes e das pessoas que não gostam (sim, elas existem, e muito!). Ah, claro, e das pessoas que acham que tirar a lactose da alimentação resolve todos os problemas do mundo.

Mas você está realmente tomando iogurte?

Mas muitas bebidas não são iogurtes - e sim, isso pode fazer diferença na sua alimentação e saúde!

Primeiro, vamos as definições...

Iogurte - produto cuja fermentação se realiza com cultivos protosimbióticos de Streptococcus salivarius subsp. thermophilus e Lactobacillus delbrueckii subsp. Bulgaricus, aos quais se podem acompanhar, de forma complementar, outras bactérias ácido-lácticas que, por sua atividade, contribuem para a determinação das características do produto final.

Bebida Láctea

 - Mistura do leite e soro do leite, adicionados ou não de produtos ou substâncias alimentícias, gordura vegetal, leite fermentado, fermento lácteo e outros produtos lácteos. A base láctea deve representar, no mínimo, 51% do produto total.

Leite fermentado

 - Produto obtido por coagulação e diminuição do pH do leite, ou leite reconstituído, adicionado ou não de outros produtos lácteos por fermentação láctica mediante ação de cultivos de microorganismos específicos.

Parece difícil, mas não é. Basicamente, o iogurte é o resultado da fermentação do leite através dos microorganismos citados acima. A bebida láctea é a mistura do leite com soro do leite (que é o líquido que sobra na coagulação do leite). O leite fermentado é o mais conhecido: todo mundo sabe que é aquele líquido leitoso e 'azedinho', vendido em potinhos menores (o famoso Yakult).

E qual a diferença em termos práticos?

O iogurte geralmente tem poucos ingredientes: Leite (integral ou desnatado), leite em pó, fermentos lácteos, leite reconstituído (que é a mistura de leite em pó com água, basicamente). Alguns tem adição de aromatizantes, corantes, etc... Como sua base principal é o leite (integral ou desnatado), geralmente é mais rico em gorduras e calorias, assim como a quantidade de Cálcio costuma ser maior nesses produtos. Além disso, se tomados com regularidade, podem auxiliar bastante no funcionamento intestinal, devido a suas propriedades probióticas.

A bebida láctea geralmente tem mais ingredientes: leite reconstituído, preparado de frutas, soro de leite, corantes, estabilizantes, aromatizantes, amido, etc... De uma maneira geral, as bebidas lácteas são menos calóricas e tem menor quantidade de gordura, mas também são mais pobres em cálcio e ricos em açúcares - e muitas vezes não tem a função benéfica ao intestino que o iogurte propõe.Eu sempre falo que é importante saber o que vocês estão comprando e comendo, e a melhor forma de saber isso é lendo os ingredientes e a tabela nutricional. Então, dou outra dica: veja o número de ingredientes. Quanto mais ingredientes tem o produto - principalmente aqueles com nomes que você quase não consegue pronunciar - mais 'artificiais' eles são.

Iogurte Natural Integral

É iogurte

Ingredientes: leite, leite em pó integral, fermentos lácteos

Bliss

É bebida Láctea

Ingredientes:Leite reconstituído parcialmente desnatado, iogurte parcialmente desnatado (leite reconstituído parcialmente desnatado, xarope de açúcar, soro de leite em pó, fermento lácteo), preparado de morango (água, xarope de áçucar, polpa de morango, amido modificado, amido, vitamina B1, acidulante ácido cítrico, aromatizante, conservador sorbato de potássio, corantes artificiais bordeaux e amarelo crepúsculo), xarope de açúcar, soro de leite em pó e fermento lácteo. Colorido artificialmente.

Ou seja: a bebida láctea tem muito mais ingredientes que o iogurte natural. "Mas não gosto do sabor do integral!", algumas pessoas vão falar. Eu entendo, também não gosto. Então, resolvemos optar por iogurte com sabor, pra conseguir comer o iogurte. Mas .... observe também a diferença na composição:

Iogurte Natural com pedaços de frutas

Leite reconstituído integral, preparado de frutas vermelhas (morango, amora, framoboesa, açúcar, água, amido modificado, espessantes goma guar e goma xantana, corante natural carmim cochonila, conservador sorbato de potássio, acidulante ácido cítrico e aromatizante) e fermento lácteo.

Iogurte Natural Integral

É iogurte

Ingredientes: leite, leite em pó integral, fermentos lácteos

Ou seja: os benefícios do iogurte (como as propriedades probióticas e o cáclio) são maiores, mas o iogurte com sabor, tem muitos ingredientes adicionados que são altamente artificiais.

Concluindo...Não adianta condenar nenhum produto. Talvez você precise reduzir a ingestão de gorduras: a bebida láctea pode ser uma ótima solução. Talvez você tenha que controlar os níveis de açúcar: o iogurte sai ganhando nesse caso. Talvez você esteja precisando melhorar o funcionamento intestinal: o leite fermentado e o iogurte são armas poderosas! Enfim, são muitos casos, que devem ser avaliados de maneira específica, com o seu nutricionista.

Ontem fiz um vídeo no instagram (@naocontocalorias) mostrando como faço em casa. Eu tomo iogurte integral natural com frutas! É super rápido e gostoso. E assim, eu evito os iogurtes 'cheios de ingrediente' quando posso - deixando para outros momentos específicos.

De forma geral, iogurtes, leites fermentados e bebidas lácteas são super importantes na alimentação. Converse com sua nutricionista e verifique qual a melhor opção para o seu dia a dia :)

Beijos,

Até a próxima!

Marina

Meu iogurte batido com morango e castanhas!!!

http://instagram.com/p/dkpbervyvc/

Ilusão de ótica e alimentação

A ilusão de ótica pode interferir na sua alimentação!

Veja essa imagem e responda as seguintes perguntas

Provavelmente você disse que a linha vertical é maior, assim como o primeiro círculo. Mas eles tem a mesma medida - tanto a linha, quanto o círculo. No caso da linha isso acontece porque o cérebro humano tende a focalizar excessivamente na altura dos objetos quando relacionados a largura. No caso dos círculos isso acontece porque utilizamos os objetos de fundo como parâmetro para estimar o tamanho.

E como isso se aplica a alimentação?

Nas quantidades!

O copo maior servirá mais bebida.

Sendo água, não há problemas. Mas se for outro líquido, aí você pode estar se equivocando: principalmente se estiver tentando emagrecer! Imagine que sua nutricionista trace todo seu plano alimentar, imaginando 200 mL de suco de uva natural e integral 2 vezes ao dia. Provavelmente ela irá escrever "2 copos de suco de uva" - porque ninguém costuma (e nem deve!) ficar utilizando medidor na hora de comer! Você bebe seu copo de uva naqueles copos gigaaaaaaaaaaantes (e lindos, diga-se de passagem) que cabem 100 mL a mais de líquido... ops! Serão calorias diárias a mais sendo ingeridas! Parece loucura, mas é matemática mesmo :)

O prato maior servirá mais comida. Existia um truque antigo, de comer a comida no prato de sobremesa, lembram? Isso existe há muito tempo...

Para quem come em restaurantes self service, eu aconselho fazer o seguinte: servir primeiro a salada no prato grande e depois, com um prato menor, servir a comida (arroz, feijão, carne).

Veja esse estudo feito por uma universidade americana: alguns indivíduos foram convidados a se servir de sorvete, livremente, após o almoço, em um congresso. Em um lado do buffet, colocaram potes menores (60 mL); no outro, potes maiores (90 mL). Aqueles que pegaram os potes maiores comeram 31% a mais que os indivíduos que estavam do lado dos potes menores!

Imaginem 31% a mais todos os dias, na sua alimentação... 

Bastante, não é mesmo?

Essa história toda parece piração, mas faz sentido.

Se temos potes maiores, servimos mais. Não gostamos do vazio, precisamos preencher todo o pote. Claro, que em potes, panelas e copos pequenos podemos cair no engano e "vou colocar mais um pouquinho", mas a possibilidade é menor. Isso porque quanto mais esforço o corpo tem que fazer, menor a chance dele se exceder na hora de servir.

Outro estudo também já demonstrou isso: secretárias foram presenteadas com caixas fixas de bombons. Aquelas que estavam com os recipientes fixados na mesa do trabalho, do lado delas, comeram mais. As secretárias que tiveram os bombons fixados a 2 metros de distância (que é super pouco) comeram uma quantidade menor - até 5 bombons a menos! Ou seja: se você tem que fazer algum tipo de esforço, como se levantar para pegar mais comida, a chance de você desistir é maior.

 E a vítima do excesso pode ser a sobremesa, mas pode ser até a sopa saudável diária, que você deveria tomar apenas 300 mL, mas acaba tomando 600 mL, pelo tamanho do recipiente. São 300 mL a mais fora do que você deve comer diariamente.

A dica principal é observar as louças que usa na sua casa, ou no self service. Se você está tentando emagrecer, escolha os recipientes menores!

Parece bobeira, mas pode fazer uma grande diferença!

Beijos,

Até a próxima

Marina