shot dos milagres

shot dos milagres

“Água, limão, glutamina e gratidão” é uma frase falada por um médico ‘bombado’ (literalmente) nas redes.

Se não é ele falando sobre essa combinação que garante muita luz e energia para o seu dia, é a blogueira fitness ou a nutricionista mais próxima: os ‘shots’ viraram febre na internet.

Eles prometem energia, imunidade, vitalidade e claro, aquele detox que todo mundo pensa que precisa. São recomendados pela manhã ou antes das refeições.

Limão e cúrcuma são ingredientes obrigatórios: o limão promete mudar seu pH, além de ser fonte de vitamina C. A cúrcuma vende a promessa de inibir o crescimento de quase todos os tipos de células cancerígenas. Tentador, não? Mas será que resolve?

Read More

O light pode atrapalhar sua dieta

Os produtos lights e diet já invadiram os supermercados há muito tempo. Hoje em dia é até difícil achar algum alimento que não tenha sua versão light, zero ou diet. Mas qual a vantagem destes produtos?

Diet e Light: qual a diferença?

Diet:

são aqueles produzidos de forma que algum de seus nutrientes não esteja presente na composição. Na sua grande maioria, os alimentos diet não tem açúcar. Mas existem produtos diet que são isentos de sódio, ou gordura, entre outros. Alimento diet não é significado de alimento com menos calorias! Por exemplo: Alguns chocolates diet não tem açúcar, mas tem mais gorduras, tornando a versão diet mais calórica do que a versão 'normal'.

Light: atualmente* são aqueles que tem redução (no mínimo 25%) de determinado nutriente ou do valor calórico total. A grande maioria dos produtos light tem menos calorias que os produtos "normais", mas existem casos que o valor calórico é o mesmo. Por exemplo, alguns molhos shoyu light tem redução de sódio, mas o mesmo valor calórico.

A maioria dos produtos light e diet utiliza os adoçantes como artifício para substituir a ausência do açúcar. Os adoçantes tem o poder de adoçar os alimentos sem aumentar o valor calórico.

O que pouca gente sabe é que uma alimentação rica em produtos light e diet nem sempre é a solução para a perda de peso, ou até a manutenção dela. Assim como adoçar tudo com adoçantes artificiais pode não ser uma boa saída.

Na verdade, os estudos com adoçantes ainda são muito recentes. Não sabemos, de fato, o verdadeiro impacto deles na nossa saúde. Devido a alta comercialização dos adoçantes artificiais, pesquisas começaram a ser feitas para relacionar o consumo de produtos diet e light e a obesidade, por exemplo. Os últimos estudos trazem a tona a pergunta básica: vale a pena substituir o bom açúcar pelo adoçante?

 A discussão...

Pense no corpo como uma máquina: ele está programado para responder a estímulos. Durante vários momentos (quando chega a hora da refeição, passamos na frente de um restaurante com uma comida bem cheirosa, ou vemos a foto de um prato bonito) nosso corpo se prepara para comer. Salivamos, nosso estômago ronca ... isso é apenas o que nós podemos ver e sentir. Internamente nosso corpo está se preparando para receber alimentos, liberando ou inibindo a produção de hormônios, secreções gástricas e etc.Então comemos o que estamos com vontade - ou o que temos disponível - e o corpo utiliza o alimento como fonte de energia. Para cada tipo de alimento (gordura, proteína, açúcar) o corpo tem uma reação.

Os estudos sobre a utilização dos adoçantes discutem essas reações corporais. Quando comemos o adoçante, o corpo se prepara para receber açúcar, mas isso não é enviado. Ou seja, ele dispara uma quantidade de hormônios, secreções e etc, mas não existe alimento para se aproveitar dessas reações. Isso causaria uma 'confusão' nos processos de regulação de fome/saciedade: Falando de maneira bem leiga, seria algo do tipo "oi, eu sou o corpo. Achei que viria açúcar por aí, mas não veio. Agora fiquei com vontade de comer açúcar!!! Vai lá, e pega açúcar pra mim? Mas ao invés de você comer um pedaço pequeno de chocolate, você comerá uma barra inteira!". Ele se preparou para tal, a comida não chegou. É como se a vontade depois dobrasse.

Outro fator estudado é a compensação de demanda energética. Como assim? Fácil: Para nos mantermos vivos precisamos de energia. Pra qualquer tipo de atividade. Quando ficamos um tempo maior em jejum, por exemplo, o corpo não "ah, que pena, não tem energia agora, mas já já vão me alimentar". Como escutei uma professora falando (achei super legal o exemplo), o corpo pensa "putz... acabou a comida do mundo! Nunca mais vou comer!". E então, na próxima refeição, ele aproveita todo o alimento e guarda como estoque, com medo de acontecer de novo.

Um dos maiores estoques de energia do corpo é o tecido adiposo (gordura!!!)

Entenderam a relação? Se você tem uma alimentação baseada em alimentos produzidos com adoçantes artificiais e mesmo assim tem dificuldade em perder ou manter o peso, é um sinal.

Lembrando que nas questões corporais, nunca existirá um único fator que te fará emagrecer. São conjuntos de fatores. Tem gente que come só coisa light e emagrece? Tem! Tem gente que come regularmente, até escapa um pouco e acaba comendo um pedacinho de chocolate quando dá vontade (eu!) e se mantém no peso por anos a fio? Tem! Tem gente que é "magro de ruim"? Também.

Não estou querendo dizer aqui que o adoçante ou os produtos diet/light são responsáveis pela obesidade. Uma vez um paciente falou "adoçante é coisa de gordo. Só vejo gordo usando adoçante". Eu ri do que ele falou, e no final, faz um pouco de sentido. Talvez porque a pessoa consome e depois compensa de outras formas - ou o próprio corpo vai guardando a energia que deveria ter mas não conseguiu.

E qual a solução?

Produtos sem açúcar são, principalmente, destinados ao público diabético (hoje em dia sabe-se que o diabético bem orientado por um bom nutricionista pode até comer açúcar!). Nem sempre produtos dietéticos são uma boa solução para a redução da ingestão calórica. Então, se você quer emagrecer, não vá com muita sede ao pote nos produtos dietéticos.

Já os produtos light podem causar essa "compensação' citada acima. A boa notícia é que nem sempre os produtos light tem adoçante: alguns iogurtes são light pela redução da quantidade de gorduras, sem adição de adoçantes artificiais.

Por isso eu sempre digo: não adianta só ler o rótulo, tem que ler os ingredientes!!!

Se eu for utilizar o adoçante, qual escolher?

Isso é um assunto pra lá de controverso. Como eu disse, vários estudos já foram feitos querendo relacionar o consumo de adoçante com mil coisas (desde câncer até alzheimer). Não existem dados conclusivos. Se você não toma adoçante, eu sugiro não começar. Procure apenas regular o consumo de açúcar. Se precisar tomar, sugiro sempre os adoçantes a base de Steviosídeo.

Tendo em vista que adoçantes, na sua grande maioria, são artificiais, acredito que se puder evitar algo não natural, melhor.

Não existe nada comprovado. Alguns profissionais adotam como protocolo o rodízio de adoçantes. Eu sugiro não exagerar na dose. Se você já tem o hábito de usar adoçante, já pensou em não colocar em tudo que vê?

É importante lembrar que o exagero é prejudicial em qualquer caso. O consumo excessivo de açúcar também tem vários problemas. A qualidade do açúcar que você consome também. Se você come uma fruta, que claro, tem frutose - que é um açúcar - ainda assim será mais vantajoso que comer um chocolate com a mesma quantidade de sacarose. Isso porque a fruta é rica em vitaminas, fibras e minerais. O chocolate, em açúcar e gordura hidrogenada, e nada de vitaminas e minerais, por exemplo.

Quantidade de açúcar nos alimentos

Espero que tenham gostado!

Até a próxima,

Beijos

Marina

* A anvisa, em 2012, publicou uma Resolução (RDC) 54/2012 que alterou a forma no uso de termos como light. Essa nomeclatura só será permitida se houver redução de algum nutriente em comparação com o alimento de referência. Hoje em dia, pelo simples fato de um produto ter redução ou baixo teor de algum nutriente, já pode-se classificá-lo como light. Além desse fato, outros foram modificados. Pra saber, leia aqui

Mais um capítulo na novela dos suplementos

Não é novidade que vivo pedindo muita calma para tomar QUALQUER tipo de suplemento.

Ontem estava escrevendo sobre essa fase - de banalização do whey protein e relacionados - e, coincidentemente, hoje vi essa reportagem (do USA TODAY), falando sobre um caso recente nos EUA sobre problemas com suplementos para praticantes de atividade física.

O link está aqui: http://www.usatoday.com/story/news/nation/2013/07/30/walmart-suspends-sales-of-sports-supplement-craze/2599657/

Pra quem não quiser/conseguir/puder ler o resumo da história é:

"O suplemento Craze, vendido pela Driven Sports (fabricante americana), foi alvo de uma investigação do USA TODAY, na última semana. Isso tudo porque análises feitas do suplemento mostraram que ele contém feniletilamina - similar a anfet

amina (proibida nos suplementos alimentares americanos). Esse mesmo fabricante já apresentou outros produtos que foram retirados do mercado por não estarem de acordo com as normas (e inclusive estão sofrendo processos na justiça americana a respeito deles).

Os peritos científicos questionam se os compostos listados no Craze são realmente naturais – o que é requerido para ser considerado um suplemento. Não existem evidências que o extrato de Dendrobium contenha esses componentes (feniletilamina ou similares). Ainda assim a empresa não se manifestou também perante os peritos e os estudos sobre Dendrobium.

O WalMart (rede de supermercados) retirou o Craze da sua venda online e um senador considerou que as leis quanto a regulação de suplementos alimentares fossem reformuladas. A FDA e outros membros do congresso dizem que não há necessidade de novas leis, mas sim de mais pulso firme com a legislação já existente.

Amy Eichner, da agência anti-doping americana, afirma que nenhum atleta, treinador, instrutor ou pai é capaz de classificar um suplemento como seguro ou não seguro apenas lendo o rótulo seu rótulo.  Isso porque além de não saber se o fabricante omite alguma substância, as fábricas recebem matérias primas de várias fontes questionáveis e diferentes - o que significa que em vários potes do mesmo produto, podemos encontrar substâncias em diversos tipos e quantidade. Ou seja: não há uma padronização, o que pode tornar o produto inseguro.

Outros sites que vendem o suplemento Craze dizem que foram feitas análises com amostras, além de coleta de sangue e urina de consumidores, e que não foram encontradas substâncias proibidas. O fabricante também afirma que em seus testes, nada foi encontrado."

Essa reportagem é apenas para você, que toma suplemento sem a supervisão de um profissional sério, avaliar BEM esse consumo! E tomar muuuuuuito cuidado com o que compra!

Amanhã dou minha opinião sobre tudo isto - e mais um pouco...

Beijos

Até a próxima,

Marina

Você toma vitaminas?

Nutricionista - "Vamos a sua alimentação diária. O que você toma no café da manhã?"

Paciente - "Duas fatias de pão integral com queijo, 1 copo de água com vitamina C efervescente e 1 copo de suco de limão. Depois vou para a academia"

Nutricionista - "E ao voltar da academia?"

Paciente - "Como algumas castanhas, uma cápsula de vitamina, 2 pedaços de queijo branco".

Nutricionista - "E no almoço?"

Paciente - "Salada, arroz, feijão, carnes, o trivial sabe? E depois tomo Cálcio e vitamina D".

Nutricionista - "E no resto do dia?"

Paciente - "a tarde como uma fruta, na hora de jantar uma sopa de legumes. E tomo muita água o dia inteiro. Antes de dormir tomo um suco natural. Ah, e tem a cápsula de ômega 3, de colágeno e de zinco. De vez em quando tomo procaína. Quando estou mais desanimado sabe? Faz um bem né?".

Esta é mais uma consulta na vida de vários médicos, nutricionistas, e outras especialidades. E aí, começa a investigação para saber onde e porque esse paciente está tomando tanta vitamina. "Meu ortomolecular indicou. Ele faz um exame pelo fio de cabelo, que mostra tudo o que falta no nosso corpo! Precisa ver! Muito interessante! ". Meu Deus! Fiquei calculando quanto de dinheiro ele gasta. A resposta veio em seguida "é bem caro sabe? Mas vale a pena. Achei moderno. Todas as minhas amigas estavam fazendo, e hoje em dia todo mundo precisa de vitamina né?".

Será que realmente precisa disso tudo?

Qual a importância das vitaminas?

As vitaminas e minerais participam de vários processos no corpo. Algumas são bem conhecidas por nós, desde pequenos: vitamina A para a visão, vitamina C para melhorar o sistema imunológico, Cálcio para os ossos, etc.  São vários tipos de vitaminas e minerais que atuam em diversas áreas do nosso organismo.

Como conseguir comer todas as vitaminas e minerais?

Frutas e verduras são as fontes mais conhecidas - 3 porções de cada por dia. Mas as carnes e outros alimentos como grãos, sementes e outros também ajudam na quantia certa de vitaminas e minerais.

Porque tanta gente toma suplemento de vitaminas e minerais?Por vários motivos...

1) Marketing:

Hoje em dia podemos observar um forte apelo da mídia quanto a saúde das pessoas. Todo mundo quer 'adiar' o envelhecimento, ter mais saúde, um corpo mais sarado, mais energia. Então as grandes indústrias pegam um gancho nisso tudo e ainda mostram estudos feitos que comprovam a necessidade da suplementação. Mas nem sempre esses estudos tem validade científica, e por muitas vezes são encomendados, ou comprados.

2) Falta de informação séria: como sempre falo por aqui, na área da saúde (como em qualquer outra área), existem profissionais que tem como prioridade o lucro. Claro, o mercado está cada vez mais concorrido, o que você tiver de diferencial irá te destacar dos outros profissionais. E por isso vários pegam carona no sensacionalismo, em cursos e discursos totalmente incoerentes. Muitas vezes a falta de vitaminas é decorrente de algum problema de saúde. O bom profissional investigará a causa, antes de dar o tratamento. Muitas vezes apenas um exame que identifica a falta de vitaminas não é suficiente para o médico receitar um suplemento vitamínico. E nem sempre o tratamento é a suplementação de vitaminas.

3) A grama do vizinho é sempre mais verde: todo mundo quer ter o que o outro tem. Seja a atriz da televisão, a vizinha linda e sarada, a amiga da amiga que tem aquele corpo de babar. E aí você, que nasceu com a genética diferente dela, teve uma criação diferente, tem hábitos diferentes, fica sabendo que ela toma suplemento de vitamina (e claro, ela faz a maior propaganda sobre isso). Você, muito esperta, começa a tomar o suplemento. Mas esquece que ele não é a causa de tudo: ela acorda cedo, vai pra academia, se alimenta super bem, tem um sono ótimo, toma no mínimo 2 litros de água por dia e tem uma genética de se invejar.

4) Porque várias pessoas precisam: Nem sempre quem precisa de vitaminas precisa tomar polivitamínicos. Algumas pessoas tomam vitamina D, outras Cálcio... Mas cada caso é um caso. A avaliação de um profissional é essencial!

Mais curiosidades sobre a suplementação vitamínica!Radicais livres - Vários estudos com testes em laboratórios demonstraram que as vitaminas inibem a produção de radicais livres. Mas quando esses testes são aplicados em humanos, a inibição dos radicais livres não é a mesma. Ou seja: polivitamínicos podem não ser uma luta contra os radicais livres tão precisa!

Vitamina A

- por muito tempo a vitamina A foi indicada para fumantes. Em 1985 um ótimo estudo demonstrou que, ao contrário que se previa, a suplementação de vitamina A aumentava a gravidade do câncer de pulmão nos fumantes, e não evitava o aparecimento da doença.

Vitamina C e atividade física

- alguns estudos já demonstraram que a suplementação excessiva de vitamina C pode atrapalhar no metabolismo da glicose sanguínea em praticantes de atividade física.

Vitamina D e ossos- a diminuição da vitamina D hoje em dia é algo comum. Isso porque a vitamina D, para "funcionar"no corpo, necessita da exposição ao sol. E nessa vida que levamos (casa - escritório - casa), a exposição ao sol não é suficiente. Várias vezes não é necessário suplementar a vitamina D: a exposição ao sol, 1 vez por dia, 15 a 30 minutos por dia, é suficiente. Além disso, não adianta tomar vitamina D e não tomar sol :)

Vitaminas e saúde em geral -Como disse muito bem minha amiga Marina, no blog batatafritapode, "as vitaminas e minerais disputam sítios de absorção no nosso organismo. O que isto quer dizer é que não adianta oferecer todas as vitaminas possíveis ao mesmo tempo, sendo que a porta de entrada de algumas é semelhante a de outras, ou seja, você nunca vai absorver tudo o que está comendo". 

Resumindo...

Se você toma vitaminas sem a prescrição e acompanhamento de um médico e nutricionista, melhor rever este consumo. Se você está com deficiência de alguma vitamina e mineral, eles irão avaliar a causa. Nem sempre se trata uma deficiência vitamínica apenas com a suplementação. 

O consumo regular de frutas e legumes (3 porções de cada, aproximadamente, por dia), além de uma hidratação boa (1,5L a 2 L de água por dia) e a ingestão regular de fontes de proteína e fibras é essencial para uma boa saúde!

Até a próxima!

Beijos,

Marina

Para finalizar, um infográfico sobre as vitaminas, suas fontes, e locais de atuação!!!

vitaminas
vitaminas