Emagrecer e ficar magro

Emagrecer e ficar magro

 O IMC é o índice de Massa Corporal que pode determinar o estado de saúde através do peso. O cálculo do IMC é feito através do peso dividido pela altura ao quadrado, e o resultado indica alguns estados como magreza, eutrofia, sobrepeso e obesidade.

Esse índice é muito utilizado em estudos populacionais e em consultórios médicos e nutricionais. Mas muitas vezes seu manejo não é muito bom e pode se tornar o início de uma vida de prisões alimentares e luta contra a balança. Quem nunca ouviu um médico/nutricionista "você TEM que emagrecer!" e ficou apavorado querendo perder peso a todo custo, ou conhece alguém que depois dessa ordem ficou achando que estar magro era essencial pra uma boa saúde? Mas nem sempre magreza é garantia de saúde!

Como assim?

Read More

Prescrição ou não, eis a questão

Prescrição ou não, eis a questão

Desde que a idéia da nutrição comportamental começou, várias questões ficaram no ar. Dentre elas a dúvida se essa linha da nutrição fazia ou não prescrição de plano alimentar.

Antes mesmo de darem um nome para isso, sabendo que eu trabalhava e pensava de um jeito não convencional, eu não me importava de continuar montando meus planos alimentares. Para cada paciente que entrava e saía da minha sala, eu elaborava um plano, um roteiro. Bem diferente do jeito que eu havia aprendido na faculdade, mas ainda assim colocava tudo num papel.

Read More

Própolis, febre amarela e autismo

Própolis, febre amarela e autismo

Recebi perguntas e li várias 'correntes' no whatsapp, além de ter observado no facebook e outras redes sobre possíveis alimentos que ajudam a prevenir a febre amarela: alho, própolis e vitamina B12 são os campeões.

Mas será que REALMENTE esses alimentos são capazes de evitar a presença do mosquito e prevenir a febre amarela?

Read More

Azeite, o queridinho da nossa alimentação

Azeite, o queridinho da nossa alimentação

Pode esquentar o azeite? E onde armazenar? A acidez determina sabor ou qualidade? Ou os dois? 

Ano passado fui convidada pelo Azeite Gallo para participar de uma confraria de receitas, todas marcadas pela hashtag Sabor Memorável. No primeiro evento, fomos conhecer um pouco mais sobre azeites, preparar nosso próprio blend e claro, degustá-los. 

E a partir daí, sugiu esse post

 

Read More

Dieta alcalina?

"Já tive casos de mulheres que perderam de três a cinco quilos em 15 dias, só de corrigir a alimentação com a dieta alcalina”. Foi pesquisando as loucuras sobre uma das dietas mais non sense que já vi que achei essa informação. Acho que tem gente que nem tem curiosidade de fazer uma dieta alcalina, mas sempre tem aquela pessoa que pergunta se tomar água com limão logo pela manhã realmente faz bem pra saúde... E apesar da gente considerar o limão ‘ácido’, ele está super presente nessa dieta!.

Pra falar de dieta alcalina a gente precisa falar de pH. É um assunto chatinho e precisa ser estudado com cuidado – e talvez por isso tanta gente parece pular essa parte do aprendizado.

O pH é uma escala que mede a acidez das soluções. Um pH igual a 7 é neutro, abaixo de 7 é ácido e acima de 7 é básico (ou alcalino). Nossos fluidos também são ácidos/básicos: o pH do nosso sangue, por exemplo fica entre 7,35 a 7,45. É nessa faixa que há um funcionamento ótimo das proteínas e vários mecanismos do nosso corpo. Qualquer modificação que saia desse intervalo pode causar sérios problemas (acidoses e alcaloses).

alcalina.jpg

O pH sanguíneo geralmente se modifica devido a problemas graves de saúde, como insuficiência pulmonária, insuficiência renal aguda ou crônica, choques, etc. Para manter nosso pH sanguíneo dentro da faixa saudável, nosso corpo tem vários mecanismos que chamamos sistemas tampões. Nossos pulmões, rins, nosso próprio sangue (as hemoglobinas) e o bicarbonato circulante no nosso corpo tem a função de manter o pH dentro da faixa ótima (7,35 a 7,45). São processos muito refinados e qualquer má funcionamento desses sistemas podem causar problemas seríssimos – levando até a morte.

Mas se nosso pH sanguíneo é orquestrado pelo próprio corpo, porque tentar manipular esses valores?

Os defensores da ‘dieta alcalina’ dizem que as doenças se manifestam em um PH mais ácido. Se alcalinizamos nossa alimentação, podemos alcalinizar o sangue e reduzir a ocorrência dessas doenças: o câncer é uma delas. Eles afirmam que as células cancerígenas não podem viver em um ambiente alcalino, por isso deveríamos alcalinizar o sistema inteiro (mas esqueceram de lembrar que nenhuma das nossas células consegue viver em um ambiente muito alcalino – e nem em ambiente muito ácido. Repitam comigo: somente sob um pH ótimo nosso corpo funciona de maneira orquestrada – e mesmo assim ainda sofremos com doenças multifatoriais (como o câncer).

Mas vamos imaginar então que você ainda não se convenceu e quer mudar seu pH alcalino, e aí você vai comer todos os alimentos alcalinos que encontrar pela internet.

Você come todos esses alimentos e eles chegam no estômago. Lá o pH é bem ácido (entre 1,5 a 3,5) e qualquer alimento que passe por lá chega no intestino com o pH igual (e ácido).

Depois disso a comida chega ao intestino e começa a ser absorvida. Quando os produtos finais da digestão e absorção chegam ao sangue, o sangue está no pH ótimo e é MUITO difícil alterar esse pH.

“Ah, mas medi meu pH urinário, e ele estava alterado”.

O pH da urina varia de acordo com suas refeições e esse sim, está relacionado a dieta. Se você come mais fontes de proteína animal por exemplo, você terá uma urina mais ácida. Isso porque os produtos finais dessa digestão são compostos nitrogenados, acidificando assim a urina. Mas o pH da urina não tem relação nenhuma com nossa acidez sanguínea, mas sim com processos metabólicos e digestivos.

“Conheci uma pessoa que melhorou muito a saúde depois dessa dieta”.

Não tenho dúvidas! Mas melhorar a saúde comendo esses alimentos alcalinos é fácil. Isso porque são produtos mais naturais, menos industrializados e que qualquer pessoa em sã consciência sabe que são mais saudáveis do que os outros.

e mesmo assim encontramos várias discrepâncias entre as listas....

e mesmo assim encontramos várias discrepâncias entre as listas....

Se você ainda não está convencido, faça um exercício: entre nos sites que prometem alimentos alcalinos (ou água alcalina) e observem quanto interesse está envolvido por trás disso. Lembre-se também que a maioria das doenças é multifatorial e sobretudo avalie se você não é muito sugestionável quanto a esse tipo de assunto!

Até a próxima!