TBT: Tokyo

TOKYO

Nas minhas andanças pelo Japão, Tokyo foi a primeira cidade a ser visitada. Como a chegada foi por Narita (aeroporto próximo de Tokyo), ficava mais fácil começar por lá. E não me arrependo nenhum pouco: a cidade é gigantesca, linda, organizada, interessante e, na minha humilde opinião, mais legal que NYC (e olha que eu gosto de NYC, hein?!).

Chegando no aeroporto nos surpreendemos com a organização e o silêncio na fila da imigração Já é o primeiro impacto e uma amostra de como será o choque cultural. Com o nosso passe do JR Rail Pass (que falei no outro post), pegamos o trem para o hotel. No próprio aeroporto tem um guichê para que você troque o seu documento recebido no Brasil pelo documento que será seu 'passe' durante sua estadia. Nosso hotel ficava perto de uma estação de metrô, e o moço do guichê conseguiu nos explicar como faríamos as baldeações para chegar lá!

Dica de ouro: algumas estações de metro são ‘interligadas’, ou seja, você consegue passar de maneira subterrânea de uma para a outra. Foi o que deveria acontecer com a gente (e não aconteceu): entre a Shimbashi Station e a Shiodome, poderíamos cortar caminho mas saímos e foi meio complicado achar o hotel. 

Ficamos hospedados no Park Hotel Tokyo, do lado da Shidome Station. Valeu cada centavo! O hotel é confortável, tem uma vista linda (dá pra ver o Monte Fuji lá longe!) e fica numa excelente localização: perto do famoso mercado de peixes e de Ginza.

Já era a noite, mas mesmo cansados fomos comer algo. Andamos até o Ippudo, um restaurante de Lámen, em Ginza. Nosso primeiro contato com Tokyo foi já interessantíssimo: andamos tranquilamente nas ruas a noite, vimos algumas pessoas bêbadas na sarjeta (você verá várias, pode apostar) e não tivemos nenhum impedimento quanto a língua. Eles entregaram a conta do restaurante em japonês, mas no caixa o responsável por cobrar nos forneceu o valor no nosso algarismo arábico.

PRIMEIRO DIA

 Mercado de Peixes, imperdível!

Mercado de Peixes, imperdível!

O fuso horário ainda estava tranquilo. Acordamos cedo e fomos para o Mercado Tsukiji (de peixes). Tem que ir! Não pegamos o famoso leilão de atum porque né, acordar 2 horas da manhã não estava nos nossos planos. Mas a visita no mercado foi super legal! É super limpo e você pode comer por lá. Aproveitamos para tomar café da manhã com sushi. 

Dica: vá na parte externa do mercado. Dê um google ou procure no foursquare, você verá várias recomendações. Existe um famosíssimo, com uma fila gigantesca que não encaramos. Fomos ao lado e não nos arrependemos. Infelizmente não anotei o nome, mas vale muito!

Saindo do mercado, pegamos o metrô e rumamos em direção ao Templo Senso-Ji, um templo budista lindo em Asakusa. Descemos algumas ruas antes e, por sorte, pegamos uma celebração religiosa local: pessoas nas ruas cantando e rumando em direção ao templo. Uma espécie de procissão alegre e colorida. Nunca mais vou esquecer!

 sua sorte em um palito

sua sorte em um palito

O templo é enorme e lindo. Lá (e em vários outros templos) você pode fazer os rituais, como lavar as mãos com uma concha (que parece uma panelinha), acender um incenso, tirar um papel com sua sorte e etc... É tudo muito lindo e conservado, apesar de bem cheio! Não há limitação de roupas, então se for no verão, pode ir de short ou saia tranquilamente!

Saindo de lá, almoçamos no Shima Steak, um restaurante super escondido perto da Tokyo Station. Nesse dia contamos com a ajuda de um japonês super solícito que nos viu perdidos no meio da rua olhando o celular. Sem falar uma palavra em inglês, ele nos ajudou a encontrar o restaurante! Fofo! Arigatô!

 Azaléias <3

Azaléias <3

Dica: se for ao Shima (e vá ao Shima), reserve! A carne é divina, divina, divina... O ambiente é super simples, diferente e acolhedor. Prepare o bolso e o paladar.

Saindo do restaurante, continuamos nosso 'turismo de resultados' e fomos visitar o Ueno Parque e o Palácio Imperial Era época das azaléias e estava bem florido. Lindo, lindo, lindo!

Com o jet lag batendo na porta, fomos para o hotel cochilar e... descansamos demais. Acordamos tarde (e famintos!) mas aproveitamos para conhecer o famoso Golden Gai, distrito cheio de pequenos bares (dizem que são mais de 200). Não conseguimos comer, mas tomamos umas cervejas e nos divertimos. Paramos perto do nosso hotel para comer algo. Passando na frente de um barzinho qualquer, perto de Shimbashi, um japonês fez sinal para sentarmos. Meia-noite e nada do sono aparecer, então vamos aproveitar: mais cervejinhas, uma bandeja de espetinhos e frango frito, por favor. Amei. O cardápio? Tem foto, pra facilitar.

SEGUNDO DIA

  American Breakfast  em Tokyo

American Breakfast em Tokyo

Acordamos para conhecer Harajuku. Mas antes, passamos por um bairro próximo, fofíssimo e super cool. Paramos para um café no Deus Ex Machina e fizemos aquele american breakfast, com ovos, bacon, avocado e uma limonada deliciosa. Sem falar no café... Os japoneses AMAM café, e você encontra lugares deliciosos para degustá-los. Esse é um deles!
Saindo de lá, andamos por Harajuku e pela rua Takeshita, cheia de gente colorida, lojas coloridas, algodões doces coloridos e, no final da rua, o templo Meji: maravilhoso, enorme, com uma paisagem natural linda de viver. Um contraste que é a cara de Tokyo.
Dica: Esse templo é xintoísta e, se você for aos domingos pode dar a sorte que demos: ver um casamento tipicamente japonês!

Saindo de lá, andamos até Shibuya Crossing para ver a multidão de pessoas atravessando de um lado para o outro (suba no Starbucks para ver melhor!), demos uma volta nas redondezas, e provamos uma cerveja para espantar o calor no Oslo Brew Pub. Além de café, eles tomam muita cerveja, e essa cervejaria artesanal, apesar de vazia, era bem legal. Saindo de lá fui provar meu primeiro Tonkatsu no Tonkatsu Maisen. Amor a primeira vista: nunca havia provado o prato e entrou pros meus preferidos. O tonkatsu é um porco empanado servido com gohan (o arroz), saladinha de repolho e um molho de gergelim delicioso, além da sopinha de missô.

Detonados novamente pelo Jet Lag, voltamos para o hotel, dormimos e terminamos a noite em um Lámen na Tokyo Station. Tentei ir ao Rokurinsha, Lamén que o David Chang visita no Mind of a Chef, mas a fila é interminável. A fome estava grande então fomos no vizinho do lado, compramos o nosso escolhido pela Vending Machine (tão moderno!) e sentamos no balcão. Tem que comer fazendo barulho, tá?

No outro dia partimos para o resto da viagem, mas na volta, passamos mais dois dias em Tokyo.

TERCEIRO DIA

wagyu.jpg

Afim de um pouco de carne, fomos até Naka-Meguro  e provamos o Sandô do Wagyu The Cutlet Sanduwich. DELICIOSO! O preço é mais alto, mas é pra comer com gosto. Nesse dia andamos mais por Shibuya, Omotesando, passamos por várias lojas de discos (pra quem adora, existem várias!) e voltamos a Ginza para ficar naquele turismo aleatório. A noite terminou com, claro, Tonkatsu. Saudades de você, tonkatsu!

QUARTO DIA

Último dia, coração partido.  Voltamos em Harajuku, Shibuya e aproveitamos para fazer umas compras. Tokyo é a cidade das tendências e... dos tênis! Lá dá pra ver um estilo mais diferente do outro, em lojas super legais. Alguns modelos da Nike, por exemplo, você só encontra lá. Mágico. Aproveitamos também para fazer nosso carregamento de kit kat e lembrancinhas para o Brasil.

UM DIA EU VOLTO

tokyo.jpg

Quando chegamos no Japão, e mais especificamente em Tóquio, queria fazer tudo que pudesse porque é tão longe que a gente nunca sabe se vai voltar. Mas depois de ir, você sonha em visitar mais uma vez. Tokyo é uma cidade linda, diferente, cheia de contrastes e super moderna. Mas diferente de Manhattan, ela é mais plural. Não sei explicar, só sei sentir! Se você está pensando em ir para o Japão, vários dias em Tokyo e muito pique para andar são indispensáveis.

Nesse post eu coloquei os pontos principais que visitei, mas andamos tanto (21 a 23km/dia!) que vimos muito da cidade!

 

 

Espero que ajude os futuros visitantes de Tokyo com idéias! E para mim, foi uma delícia reviver esse momento TÃO especial na minha vida. 

Arigatô, Tokyo!