Pra refletir: a importância da estética

Li esse texto no site da Julia Petit, e achei super interessante. No caso, acredito que ela quis se referir ao mundo fashion. Mas tirou as palavras da minha boca quando penso em falar sobre o mundo 'fitness' ou 'saudável'. Dá pra acreditar em tudo que se lê? Vale a pena?

Será que aquela menina linda que você segue na internet, que tem um corpão de dar inveja, tem o mesmo estilo de vida que o seu - ou seja, estuda, trabalha, e as vezes deixa de tomar café da manhã pra dormir mais 30 minutinhos? Será que aquela atriz maravilhosa que você vê na TV, com aquelas pernas lindas, tem um namorado tão legal quanto o seu, que te valoriza e te dá carinho, mesmo com todas as suas celulites e estrias?

E será que aquela colega do trabalho, que tem uma barriga magra e dura, se diverte como você? Que toma seus pilques nos fins de semana, come um belo sanduíche de pijama em cima da cama naquele domingo chuvoso? Ou é super 'gostosa' mas vive de mau humor?

Por isso digo sempre que devemos ser o melhor de nós mesmos, e não do outro. Todo mundo tem problemas e soluções. Antes de comprar todas as informações divulgadas por aí pra acabar com essa celulite 'monstra' na sua coxa, pense, reflita, procure informação séria. E veja se é só a cápsula que toda a internet está usando que irá resolver o seu problema estético :)

Be original

Beijos,

Marina

Já ouviu falar em SHEEPLE? Sheeple é a junção de duas palavras em inglês: Sheep (ovelha) e People (povo). Essa expressão é usada para, de maneira nada delicada, classificar pessoas que obedecem a um sistema sem qualquer indagação ou interpretam o que lêem na mídia (detesto essa palavra) como verdade absoluta. Quando você ouve uma informação, você pondera ou apenas aceita? Você pesquisa sobre um assunto antes de concluir sobre ele? Duvida saudavelmente, fica curioso e procura saber mais? Ou apenas repete o que lhe é dito? Prefere concordar para não se desentender da maioria? Gosta de ter uma certa aparência para se sentir parte de um grupo? Segue a moda sem nem saber direito se gosta daquilo, ou  você tem um estilo definido? Compra loucamente porque ouviu que um produto é o item do momento? Não. Não estou misturando coisas. O consumo também faz parte disso. E não precisa se envergonhar de querer ser aceito num grupo. Isso faz parte do ser humano desde que ele existe na Terra. Mas por que então estou falando disso? Porque às vezes, nesse nosso hábito ancestral de pertencer, a gente fica meio que em transe e não pecebe o que de verdade acontece a nossa volta. Comentei rapidamente sobre isso na Campus Party deste ano porque ando obcecada com esta palavra “sheeple”. Falei sobre o quanto é importante estar alerta e presente nas nossas decisões, gestos e costumes. Ainda mais num tempo em que a gente recebe tantas informações e raramente tem tempo ou disposição pra tentar pensar pausadamente sobre elas  É importante prestar muita atenção nas pequenas e grandes coisas e ser completamente consciente do que fazemos. Existir sem consciência é ser levado por uma onda. E consumir sem propósito é ser vitima de um sistema de vendas (de produtos ou pessoas). Por isso fique sempre bem acordado. Lembrar de quem somos de verdade é o que nos diferencia de apenas fazer parte de um rebanho.

Retirado do site da Julia Petit http://juliapetit.com.br/colunas/julia-petit/ovelhas-2/