O dia em que me tornei (apenas) nutricionista

4 de maio de 2017

Links da semana: sobre as redes sociais

4 de maio de 2017

Recebi e testei: produtos Vapza

4 de maio de 2017
comalimentar
comalimentar
produto

Semana passada recebi da Vapza uma caixa com três produtos: feijão preto, seleta de legumes e frango desfiado. Eu já conhecia a marca pela canjica deles, e sabia que com o tempo tinham ampliado o portfólio.


vapzaprodutosAcredito que muita gente acaba pensando ou duvidando: “como um alimento fresco, perecível, pode durar dentro de uma embalagem?”. Os engenheiros de alimento, químicos e outras especialidades existem justamente para isso! Eu não sei explicar como isso acontece, tenho muita curiosidade de saber e acho que é uma falha do mundo do nutrição, a gente não saber nada dos processos produtivos. Se alguém souber como funciona, conta pra gente aqui nos comentários!

Enfim, a caixa chegou e fui ver o que fazer com cada um. Mas antes, nada como observar os produtos.

Eu sou a pessoa que mais ama cozinhar, mas não tenho panela de pressão!!! Aliás, nota mental: providenciar uma boa panela de pressão.

E é justamente por isso que o feijão passa longe aqui de casa. Cozinhar feijão fora da panela de pressão é bem chato, e eu não acho que fica com o mesmo sabor. Pelo mesmo motivo, acabo não preparando peito de frango desfiado. Sei que tem jeito de desfiar com as mãos, mas já não sou a grande fã de ver aquele peito de frango sem graça ali na minha frente, quanto mais cozinhar. Já os legumes, eu sempre tenho, e não me incomodo em lavar, cortar e cozinhar.

produtosvapza

O produto mais interessante para mim foi o frango. Eu não me importo se ele vem com pouco tempero, porque assim a gente consegue deixar do jeito que queremos. Ainda não provei, mas pretendo fazer uma torta de frango.

Com o feijão, fiz um caldinho pra tomar a noite. Achei bem gostoso, e como temperei com um pouco de linguiça calabresa moída, pimenta e salsão, nem precisei colocar sal.

Com os legumes ainda não fiz nada, e talvez vou deixar como produto extremo da urgência. Eu não tenho grandes paranóias com conservantes, corantes e etc, porque sei que eventualmente tenho que usar um alimento que tenha algum componente desses. Mas legumes, como disse acima, são alimentos que eu faço questão de procurar, comprar, escolher, cortar e cozinhar. Então pra quê eu vou usar um produto processado se posso preparar?

preçovapza

A questão é saber escolher e utilizar. Se eu precisar, não vou abrir mão dessa opção. Mas se é pra eu comer legumes, prefiro preparar, por mais trabalho que dê. É uma questão de prioridade.

Alguns produtos tem seu preço pela facilidade. Quando moramos sozinhos – ou até numa casa de duas pessoas – algumas coisas caras saem mais baratas. Se você não tem disponibilidade de cozinhar o feijão e depois congelar, por exemplo, um produto desse tem seu valor. Outro detalhe é o desperdício: alguns produtos minimamente processados facilitam muito para evitar encher o lixo de comida que não foi consumida.

preçovapza

Numa nota final, 4,25. Passou de ano para mim. Sou uma super defensora da comida de verdade, preparada em casa, mas acho sim que alguns alimentos processados tem espaço na nossa cozinha. Vejo que alguns até abrem espaço para melhorar o contato com uma alimentação mais caseira. Já pensou se você incorpora o feijão no seu dia a dia (dessa maneira) e daqui a pouco está se propondo a cozinhar o próprio? Incrível!

E aí, você compraria esse produto?

Beijos e até a próxima!